Semana foi de alta nos combustíveis

 

Jorge Guimarães  

A dinâmica no mercado de combustíveis está rendendo bons frutos para aquele consumidor que realiza uma pesquisa bem feita na hora de completar ou mesmo abastecer a gasolina. Com o preço sendo livre, cada empresário comercializa a sua margem de lucro, o que vem aquecendo o mercado quanto a concorrência. Em Divinópolis, apesar das altas e quedas no valor do litro da gasolina, o preço médio vem se mantendo na casa dos R$ 3,90. O que implica que na livre concorrência quem ganha é o consumidor que vê o preço ficar estável nas bombas, mesmo diante das constantes autorizações de alta.  

Existem vários jeitos de combater a concorrência, além de baixar o preço. E entre alguns, a parceria é uma das mais utilizadas, principalmente na hora realizar uma compra. Se a compra é grande, automaticamente o preço cai e foi pensando nesta lógica que 50 postos de combustíveis de Divinópolis fazem a compra do combustível em conjunto. 

— Nossa empresa tem três postos na cidade, um em Itaúna e outro na BR-262 e, em questão dos preços dos combustíveis, estamos segurando até quando der. Nossa metodologia de comercialização na bomba é só vender a dinheiro, assim repassei os 3% a 4% que seria do cartão de credito para descontar no preço pago em dinheiro. Além desta estratégia, participamos de um grupo de 50 postos da cidade que fazem uma compra coletiva, assim barateando o custo do produto — analisou o empresário Adriano Jesus dos Santos, há sete anos no mercado.  

Sobe desce 

O preço da gasolina abriu a semana, na terça – feira, com baixa de -0,2%. Mas a partir daí, o combustível somente teve altas de 1,7% na quarta, 0,6% quinta, mais 1,7% ontem, e para hoje o aumento será na casa dos 0,6%.  

Já o diesel também seguiu mesma ciranda, abrindo a semana com aumento de 1,4%, depois recuou -0,3%, tornando a subir em 2,8% na última quinta – feira. Ontem, teve baixa de 0,5%, mas para hoje esta prevista nova alta de R$ 1,5%.   

Este sobre e desce que virou os preços da gasolina se deve a nova política Petrobras, adotada desde do dia 3 de julho, como base no preço de paridade de importação, em como a taxa de câmbio. Desde a prática da nova formula, a gasolina acumula aumento de 15,65% e o diesel 17,06%. 

— Os preços de gasolina estão se equiparando em muitos postos da cidade. A diferença é de centavos, mas que no final das contas sobra um extra no final do mês. O negócio é pesquisar antes de abastecer — disse o representante comercial Ulisses Avelar. 

    

 

 

Comentários
×