Semad orienta sobre cuidados com animais de estimação durante período da quarentena

Da Redação 

O período de distanciamento social para conter a propagação do coronavírus, causador da Covid-19, deve ser de cuidado redobrado com os animais de estimação em casa. Afinal, a quarentena determinada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelas autoridades dá área em Minas Gerais também altera a rotina dos pets. 

Se antes os passeios com os donos eram comuns nas ruas e praças, desde a primeira quinzena de março este hábito precisou ser paralisado. Por outro lado, a presença dos donos, que não era tão comum em casa durante o dia, passou a ser mais frequente com a adoção do teletrabalho para diversos setores produtivos. 

Em meio a essa alteração, um reflexo pode ser uma carga mais intensa de estresse nos bichos de estimação. De acordo com Janaína Colina, gestora ambiental e veterinária do Núcleo de Fauna e Pesca da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), o desgaste emocional pode ser abreviado com atividades que possam consumir energia dos animais.

— O tutor pode usar e abusar de sua imaginação, buscando brincadeiras para entreter seu cão ou gato, tais como esconder petiscos e brinquedos pela casa para estimular o animal a encontrá-los, ou até mesmo o tradicional jogo de lançar e buscar a bolinha — aconselha. 

Janaina cita também a importância da dedicação de um tempo, por parte dos donos, para educar ou brincar com os animais.

— O tempo extra com o animal de estimação pode ser usado para educá-lo e ensinar alguns comandos básicos. Existem diversos tutoriais on-line, disponibilizados gratuitamente, nos quais especialistas em comportamento animal dão várias dicas sobre o assunto — complementa. 

Apesar de não indicar os passeios com os bichos de estimação neste período, e de a Organização Mundial de Saúde (OMS) já ter comprovado que os animais não são transmissores do vírus, a veterinária diz que alguns cuidados devem ser adotados caso o dono do pet planeje uma caminhada com o bicho.

— Deve-se evitar sair em horários e para locais com grande circulação de pessoas, reduzir o tempo dos passeios, evitar que o animal tenha contato com outras pessoas, além de higienizar as patinhas com água e sabão e secá-las ao chegar em casa — frisou Janaína. 

A coordenadora do Núcleo de Fauna e Pesca da Semad, Samylla Mol, destaca que observar o comportamento do animal neste período também é essencial.

— Os animais sentem falta de exercer seus comportamentos naturais, tais como  farejar, caminhar e cumprimentar outros cachorros na rua. Eles, assim como nós, gostam e precisam de liberdade para se sentirem bem — comenta. 

Os cuidados com os pets, segundo ela, devem fazer parte da rotina das famílias, não sendo exclusivos à quarentena.

— Os animais são seres sensíveis e, muitas vezes, sofrem em silêncio. Por isso, devemos estar sempre atentos aos comportamentos e necessidades deles — acrescenta Mol.

Comentários
×