Sem oferecer perspectiva para o hospital, Zema faz sua primeira visita a Divinópolis

Governador surfa na onda do desequilíbrio fiscal de Minas e elogiou combate à pandemia

Paulo Vitor Souza 

Em sua primeira visita a Divinópolis, após ser eleito, o governador de Minas, Romeu Zema (Novo), frustrou as expectativas de respostas mais claras acerca do Hospital Regional. Quem aguardava uma data para recomeço dos trabalhos, ouviu de Zema que a finalização depende inteiramente de acordo com a mineradora Vale.

Com discurso debruçado sobre a crise financeira do Estado, Romeu Zema foi questionado sobre dois assuntos que estiveram em alta durante as eleições, sempre apontados como uma dificuldade do Município. Sobre a conclusão do Regional, o governador afirmou que sua gestão aguarda o fim dos trâmites entre o Estado de Minas e a mineradora Vale.

— O Estado virou um cemitério de obras, e o pior, um estado falido, sem qualquer condição de terminar qualquer uma delas. Não temos hoje recursos sequer para tapar buracos. Com relação à saúde, a situação não difere muito. Nós estamos extremamente otimistas em relação ao acordo com a Vale. O Estado está tendo todo o apoio do Ministério Público Estadual e Federal, e esse acordo vai propiciar o término do hospital de Divinópolis, como também de outros hospitais regionais — disse.

Ainda sobre a área da saúde, Zema foi perguntado sobre a desmobilização do hospital de campanha em Divinópolis e sobre uma possível segunda onda da covid no estado.

— Nós estamos em um momento de observação, e  tivemos realmente um aumento no número de casos. O momento é de cautela, e não é adequado nestas duas semanas próximas nós mudarmos, mas eu conversei com o secretário de Estado de Saúde e ele afirmou que, em Minas Gerais, os números de internação estão normais. Nós declinamos e agora estamos estamos caindo em normalidade — afirmou.

Romeu Zema salientou que Minas vem combatendo a pandemia de maneira satisfatória, segundo ele. O governador disse ainda que, caso o Brasil apresentasse a mesma proporção de mortes da covid, cerca de 70 mil vidas teriam sido salvas.

Demandas 

A visita do governador na última sexta-feira, 20, começou em São Sebastião do Oeste, onde inaugurou o Programa de Armazenamento de Grãos, da Avivar Alimentos. A empresa investiu R$ 50 milhões no projeto que vai estimular produtores rurais da região a apostarem no cultivo de sementes. A segunda parada foi em Carmo do Cajuru, onde visitou a matriz da empresa Lider Interiores.

O giro de Zema pelo Centro-Oeste terminou na Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), onde se reuniu com empresários, políticos e industriais. Na pauta econômica, o governador disse que o Estado trabalha para atrair novos investimentos que possibilitem a criação de vagas de trabalho.

— Nos últimos meses já eliminamos, em centenas de atividades, a necessidade de alvarás de funcionamento, fizemos um “revogaço” em que várias portarias e decretos que significavam obstáculos para as empresas deixaram de existir. Com isso, a atividade econômica em Minas Gerais vem sendo destravada. (...) Vejo com ótimas perspectivas o futuro do nosso estado. Nós somos um governo que, antes de tudo, precisa criar empregos. Temos trabalhado ao lado da Fiemg, que sempre tem levado propostas de simplificação, para que ninguém tenha no Estado um obstáculo para o seu crescimento — disse.

Presenças

No encontro da última sexta, estiveram presentes o deputado federal Domingos Sávio (PSDB), o deputado estadual Cleitinho Azevedo (CDN) e o prefeito recém-eleito, Gleidson Azevedo (PSC). Marcaram presença também a vereadora e vice de Gleidson, Janete Aparecida. 

O deputado Cleitinho pediu auxílio do governador para a criação de um centro tecnológico voltado para o setor de confecções e se colocou à disposição para auxílio na condução dos projetos. Segundo Cleitinho, a gestão do Estado precisa olhar para o presente e não lamentar os erros da administração de Fernando Pimentel. O deputado afirmou que o objetivo principal agora deve ser a conclusão das obras do Hospital Regional. 

Já Domingos Sávio (PSDB) solicitou a Zema apoio na pavimentação da estrada que liga São Sebastião do Oeste a Divinópolis.

O anúncio do governador nos deixa esperançosos de ver a pavimentação concluída da estrada entre São Sebastião do Oeste e Divinópolis, passando pelo Cacoco. É uma importante obra, que já previmos na gestão do ex-governador Antônio Anastasia. Por isso, deixamos o projeto elaborado, mas a falta de interesse do ex-governador, Fernando Pimentel (PT), fez o Estado engavetar a proposta. Agora, a possibilidade de uma Parceria Público-Privada reacende a expectativa de vê-la concluída, mesmo em um momento de menor capacidade de investimento por parte do governo — afirmou Domingos Sávio.

Ao fim do encontro com os empresários, Romeu Zema percorreu o Centro da cidade, onde conversou com comerciantes, clientes e  moradores.

Comentários
×