Sem futebol

 

A continuar neste ritmo, Divinópolis não terá mais futebol em seus campos de base nos próximos dias. Foram suspensas todas as atividades nos locais que ficam à beira do rio Itapecerica ou próximos. A medida adotada pela Prefeitura visa evitar que mais pessoas sejam contaminadas com a febre maculosa.

Mais cinco 

Anteriormente, quando eram duas mortes e dois casos suspeitos, apenas os campos do Flamengo, Guarani e a Associação Danilo Passos, no bairro de mesmo nome. Agora, com mais uma morte e o aumento das suspeitas, entraram na lista: o campo no CSM, do Bom Sucesso, do Divinópolis Clube, ABB, Gecol. Já são oito e, principalmente, as escolinhas estão paradas. Situação que vem causando, além de preocupação, um certo pânico entre os pais e as direções dos clubes.

Outros espaços 

O crescimento das suspeitas e o medo de que elas aumentem ainda mais, afetaram também outros espaços na cidade e até moradias. A Sala Verde, Escola Municipal Oribes Batista Leite e Centro de Treinamentos do 10º Batalhão dos Bombeiros, além de duas residências no bairro Belvedere e outra no bairro Dom Pedro II entraram na lista. E não estão descartadas novas interdições, apesar de a Vigilância em Saúde ter intensificado as dedetizações.  

 Tempo e estratégias 

Faltando apenas 26 dias para o primeiro turno das eleições, os comitês dos candidatos à presidência da República refazem estratégias diante de dois fatores que reforçam o cenário de imprevisibilidade da disputa: o destino dos votos de Lula (PT) e impacto da facada em Jair Bolsonaro (PSL).

 Ataque ajudou? 

Alguns cientistas políticos e coordenadores de campanha avaliam que Bolsonaro já estava com um pé no segundo turno e que o atentado pode ajudá-lo a assegurar uma das vagas no segundo turno. Mas, o certo é que ainda não há certeza do peso das situações junto aos eleitores.

 Ganha, mas perde 

Bolsonaro lidera as pesquisas com pouco mais de 20% e levou apoiadores em alguns estados para as ruas, em manifestações por sua recuperação. Mas, o militar também tem a maior rejeição entre os candidatos e perde nas simulações de segundo turno para Marina Silva (Rede), Ciro Gomes (PDT) e Geraldo Alckmin (PSDB), e fica no empate com Fernando Haddad (PT).

 Segurança e candidatos

 O que há de concreto mesmo até o momento é que o episódio aumentou a segurança da Polícia Federal em torno dos candidatos ao maior cargo no país – eram 80 agentes, porém o número pode chegar agora a 130. Em um prazo tão curto, só resta aguardar o desenrolar dos próximos capítulos.

 Alerta nos museus 

O Corpo de Bombeiros deflagrou ontem a operação Alerta Vermelho para vistoriar os 433 museus de Minas. O objetivo é inspecionar questões como documentações, sistema de prevenção e combate a incêndio e pânico e rotas de fuga.

Os responsáveis serão orientados sobre o que fazer para atender a necessidade de segurança. Em caso de risco iminente, o espaço poderá ser interditado, mas, em princípio, é uma operação educativa. Um panorama sobre a situação dos estabelecimentos será passado na próxima sexta.

 Motivo e situação 

A medida foi adotada depois da destruição do Museu Nacional, consumido por um incêndio há nove dias, deverá iniciar apenas no próximo ano. Até o fim do ano os trabalhos serão focados apenas na manutenção da estrutura que sobrou e no resgate do acervo que ficou sob os escombros. A reforma, se é que será possível, ficará para o próximo ano.

 Sem previsão 

Em Divinópolis, o único museu está fechado desde março do ano passado, pois apresentava riscos de até desabar. A Prefeitura alega que depende da liberação de recursos para realizar a reforma. A exemplo do museu do Rio, a situação não deve sofrer qualquer alteração neste ano.

Comentários
×