Sem embasamento legal, comissão de servidores retira pedido de impeachment

Da Redação

O prefeito de Divinópolis, Galileu Machado (MDB) concedeu o reajuste anual, de forma integral, aos servidores municipais. O decreto dando o gatilho de 4,59% foi publicado na edição de hoje, 10, do Diário Oficial dos Municípios Mineiros e, com isso, a comissão de servidores que faria o pedido de impeachment do prefeito perdeu o embasamento legal para dar continuidade à solicitação.

A comissão, formada por Darly Salvador e Geraldo Oliveira, protocolou o pedido de afastamento de Galileu nesta quarta-feira, 8, na Câmara, porém a solicitação não foi lida, pois, segundo o Poder Legislativo, estavam faltando alguns documentos.

Com isso, o pedido de impeachment do prefeito não pode ser lido pelos vereadores, e não entrou em votação na reunião ordinária desta quinta-feira, 9. A comissão afirmou que a solicitação estava dentro do exigido pelo Poder Legislativo, e considerou a atitude da Câmara uma manobra, para que Galileu ganhasse tempo. Durante a tarde de ontem, quando os sindicalistas estavam no Poder Legislativo, aguardando a leitura e votação do pedido, o prefeito anunciou o pagamento integral do reajuste salarial de 4,59%, reivindicado pela classe.

Com a publicação do decreto, e o cumprimento da Lei 6.749/2008, o pedido de impeachment feito pela comissão de servidores perde o embasamento legal, uma vez que a solicitação seria feita, com base no descumprimento da lei. Na noite dessa quinta-feira, o Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Divinópolis e Região Centro-Oeste de Minas Gerais (Sintram) divulgou um vídeo em sua página no Facebook, com os servidores que fazem parte da comissão, afirmando que consideravam o cumprimento da lei uma vitória para a categoria. Em reunião com o presidente da Câmara, Rodrigo Kaboja (PSD), ele garantiu aos sindicalistas, que o decreto determinando o reajuste seria publicado hoje.

Comentários
×