Seis municípios da região recebem doses da Pfizer

Divinópolis fica de fora, mas tem imunizantes da AstraZeneca disponibilizados; vacinação é retomada na cidade

Bruno Bueno

A vacina Pfizer, produzida pela Biontech, entrou na lista dos imunizantes permitidos no Brasil e começou a ser aplicada no país no começo de maio. Na última semana, o Governo de Minas Gerais entregou 1.170 doses da vacina para Divinópolis. Itaúna, Pará de Minas e Nova Serrana, à época, também receberam a mesma quantidade.

No entanto, o município ficou de fora da distribuição, pelo Estado, das vacinas da Pfizer da 2 remessa. Segundo a Superintendência Regional de Saúde (SRS), começou, na manhã de ontem, a entrega para seis municípios da região Centro-Oeste. Os imunizantes foram destinados para as cidades de Arcos (570), Bom Despacho (792), Campo Belo (1.248), Formiga (1.200), Lagoa da Prata (1.014) e Oliveira (858), totalizando 5.682 doses.  

— Estas doses devem ser utilizadas para dar continuidade à vacinação da população com comorbidades e pessoas com deficiência permanente, com aplicação da primeira dose — informou a secretaria em nota divulgada.

AstraZeneca

Mesmo sem doses da Pfizer, a cidade retomou sua vacinação, que estava paralisada desde a última quinta-feira, 27, por falta de imunizantes. Os profissionais da saúde voltaram a aplicar, na manhã de ontem, os imunizantes nos drive-thrus do Centro Administrativo, Divinópolis Clube e no espaço no Bom Pastor. 

O retorno foi possível graças à chegada de doses da AstraZeneca. Segundo informações da Secretaria de Estado de Saúde (SES), Divinópolis recebeu 3.550 doses do imunizante produzido pela Fiocruz. A macrorregião Oeste, que comporta 53 municípios, teve 35.580 novas doses disponibilizadas.

Profissionais da educação

As doses serão utilizadas para vacinar diversos grupos, entre eles, os profissionais da educação. O cadastramento desse segmento foi aberto na tarde da última sexta-feira, 28. 

Conforme o Executivo, serão imunizados os professores e educadores da área administrativa do grupo da 1ª, 2ª e 3ª etapa do cronograma de vacinação dos profissionais da educação. 

Comorbidades

Outro grupo de risco que avançou na vacinação são as pessoas que têm comorbidades. Assim como os professores, a inscrição também foi aberta na última sexta-feira, abrangendo, desta vez, aqueles que têm 35 anos ou mais. Na manhã de ontem, a Prefeitura informou a abertura do cadastro para pessoas com 30 anos ou mais.

Vale ressaltar que, com a possibilidade de fraudes na vacinação, o Executivo está sendo mais rigoroso durante o cadastramento. As pessoas com comorbidade devem, além de disponibilizar todos os dados, baixar, preencher e assinar um termo de responsabilidade, que será entregue junto do laudo e receita médica. Os documentos ficarão retidos com a Prefeitura.

Idosos

Por fim, a Administração também anunciou a retomada da vacinação dos idosos de 60 anos ou mais no município. O cadastro desse segmento, que não era aberto desde o último dia 17, foi disponibilizado na manhã de ontem.

Existe a expectativa de que, quando a aplicação desse grupo for finalizada, a vacinação avance para as pessoas com 59 anos de idade sem comorbidades. Em resposta ao questionamento do Agora, o Executivo, porém, ainda não confirmou a possibilidade e disse que os critérios vêm do Ministério da Saúde (MS).

Cuidados

A Prefeitura também ressaltou sobre os cuidados que as pessoas devem tomar antes de se vacinar. 

— No dia da vacinação é fundamental ter em mãos: documento de identidade com foto; comprovante de endereço; carteira do SUS ou da unidade de saúde; cartão de vacina e laudo ou declaração médica comprovando a comorbidade — explicou.

Ainda segundo o Executivo, pessoas que tiveram contato com o vírus em um certo período também não podem se vacinar.

— As pessoas que vão se vacinar não podem ter recebido outra vacina nos últimos 14 dias, além de não ter contraído a doença com início dos sintomas nos últimos 30 dias e não estar com sintomas de covid-19 — informou.

 








 



Comentários
×