Segurança na região da Uemg preocupa alunos

 

Da Redação

Estudantes da Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg) estão promovendo uma petição on-line para solicitar mais segurança no entorno da instituição de ensino.

O requerimento é uma iniciativa da aluna do sétimo período de psicologia Julia Bertoni, que estuda na universidade no turno da noite. As últimas aulas na instituição terminam às 22h55.

— Moro no bairro Bela Vista e, sempre que preciso ir embora a pé, tenho medo. Sei de muitos casos que aconteceram e tenho consciência da falta de segurança e dos riscos que a gente corre — afirmou.

Até o fechamento desta reportagem, às 17h, o abaixo-assinado contava com 260 assinaturas.

Problemas

Além da falta de iluminação, a região próxima à universidade também enfrenta outros problemas, segundo Julia.

— Há vários terrenos abandonados, com mato muito alto e totalmente abertos, que dão abertura para casos como a tentativa de estupro que aconteceu nesta semana, ou para pessoas mal intencionadas se esconderem, por exemplo. Falta policiamento também. Um tempo atrás, um garoto foi morto na porta da Uemg. Depois daquilo, houve policiamento na porta da universidade por uns cinco dias e nunca mais. Já vi policiais dizendo que faltam profissionais para cobrir a cidade toda, mas as blitze por aqui são frequentes e têm um número alto de militares. Talvez, essas tarefas possam ser mais bem divididas — diz.

Casos

A estudante do terceiro período de jornalismo Paula Paiva mora perto da universidade, onde estuda no turno da manhã. À noite, ela passa próximo à Uemg ao voltar para casa depois do trabalho.

— Já fui assaltada uma vez na rua em frente à Prefeitura, por volta de 10h30 e, por causa disso, sempre ando com medo. Os lotes vagos têm mato muito alto, o que facilita se alguém quiser se esconder, e a iluminação é precária — disse a estudante.

Prefeitura

O Agora entrou em contato com a Prefeitura de Divinópolis para saber a respeito da manutenção da iluminação pública, da instalação de novos postes e sobre a limpeza dos lotes cheios de matos.  A Prefeitura se limitou a dizer que não há, no setor responsável, pedidos registrados de troca de lâmpadas na região da Uemg.

— Os estudantes podem solicitar manutenção ou troca de lâmpadas da iluminação pública por dois canais. O primeiro é o aplicativo DIV – Iluminação Pública. Ele é um mecanismo eficiente e rápido que está disponível a usuários do sistema Android e permite que o cidadão informe o local que necessita do serviço. Nele, o cidadão recebe um protocolo e pode acompanhar se a solicitação foi atendida. Além do aplicativo, a Prefeitura mantém o serviço de atendimento ao cidadão pelo telefone 156, destinado exclusivamente aos assuntos de iluminação pública — disse por meio de nota.

Polícia

Procurada pelo Agora, a Polícia Militar informou que o número de policiais e viaturas que atendem à região da Uemg é variável.

— Depende da equipe escalada, do dia e da operação realizada. Além das operações diárias que estão sendo realizadas nas proximidades da universidade, como a Operação Saturação, o 23° Batalhão desenvolve o patrulhamento comunitário preventivo com ponto base de viaturas nas imediações do local, a operação Proteja Seu Bairro e a Visita Tranquilizadora, por exemplo — declarou.

Atualmente, o campus da Uemg em Divinópolis tem cerca de 4.300 alunos matriculados em 17 cursos de graduação.

 

Comentários
×