Secretário sinaliza possível retirada dos leitos do hospital de campanha

Instalado na UPA desde abril de 2020, vagas podem resolver grande demanda do atendimento não covid; afirmação foi feita durante prestação de contas da Saúde

Bruno Bueno

Instalado desde abril do ano passado no estacionamento da UPA Padre Roberto, o hospital de campanha se tornou o grande símbolo da luta contra a covid-19 em Divinópolis. O local ajudou a desafogar a grande demanda de atendimento dos hospitais do município durante o pior momento da pandemia na cidade. A ocupação dos 62 leitos ‒ 30 na UTI e 32 na enfermaria ‒ chegou a ultrapassar 300% em março.

No entanto, felizmente, a situação mudou. Segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), o hospital está com apenas 23,3% dos leitos de UTI ocupados, com sete das 30 vagas preenchidas. Na enfermaria, a ocupação está em 50%, com 16 leitos ocupados.

A melhora na situação fez o secretário municipal de Saúde, Alan Rodrigo, sinalizar, durante a prestação de contas da pasta na Câmara, ocorrida na tarde de ontem, uma possível desmobilização dos leitos do hospital de campanha. 

— Os leitos são financiados pelo Estado e Ministério da Saúde. Estamos aguardando um posicionamento sobre a possível desmobilização desses leitos. Essa possibilidade já foi passada para o comitê. É uma decisão colegiada. (...) Enfrentamos um dilema de gargalo no atendimento não covid, por isso temos que trabalhar a desmobilização com seriedade. Se acontecer, que os leitos sejam destinados para a retaguarda do atendimento não covid — explicou.

IBDS

Durante a mesma prestação, Alan Rodrigo disse que a atuação do Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Social (IBDS), responsável pela gestão da UPA, está abaixo do esperado.

— A atual gestão da Prefeitura tem buscado meios de fiscalização mais eficientes. O nível de cobrança aumentou, esse é o nosso diferencial. Ela está muito aquém de alguns indicadores que a gente precisa. (...) Não teriam tantas queixas se a instituição estivesse gerindo com maestria. (...) O objetivo é melhorar, seja com a IBDS ou outra instituição — relatou.

O secretário também foi questionado sobre uma auditoria pública, prometida pelo prefeito Gleidson Azevedo (PSC) em junho, para investigar possíveis irregularidades na gestão do IBDS na UPA. A solicitação da auditoria, bem como a pergunta durante a prestação, foi feita pela vereadora Lohanna França (CDN).

— A Comissão de Saúde pode convocar a Secretaria de Estado sobre os trâmites para a realização dessa auditoria. A gente já demandou e aguarda os desdobramentos. (...) Também ficamos ansiosos para uma decisão mais rápida, mas do ponto de vista financeiro e assistencial pesam para o andamento — completou.

Atenção primária

A diretora da Atenção Primária à Saúde, Daniela Dias Gonçalves, que diz respeito à principal porta de entrada do SUS e do centro de comunicação com toda a Rede de Atenção dos SUS, também discursou durante a prestação. Ela concedeu detalhes sobre os números das unidades de saúde no município.

Segundo a Semusa, a cidade conta com 36 unidades de atenção primária ‒ o que corresponde a 42% de cobertura ‒, 34 estratégias de saúde da família e 11 centros de saúde. 32 equipes de saúde bucal, representando 34% de cobertura, também estão instaladas no município. Cinco farmácias (Central, São José, Niterói, Ermida e Nossa Senhora Das Graças) também fazem parte da equipe.

Daniela destacou o atendimento de assistência farmacêutica no município que, segundo a diretora, zerou a reclamação da fila de espera, já que o atendimento agora é agendado pelo celular ou site. O atendimento, que era até as 11h30, foi estendido para as 16h30.

Segmentos

A diretora também destacou as ações realizadas nos diversos segmentos de saúde da atenção primária. Confira algumas das atividades realizadas e destacadas pela secretaria.

  • Saúde mental: atendimento psicológico gratuito em parceria com a Uemg;
  • idoso: plano de ação com as equipes de saúde e atendimento in-loco;
  • doenças crônicas: capacitação de profissionais e residentes;
  • escolas: ampliação dos atendimentos para todas as escolas públicas do município, além da distribuição de kits informativos e orientações para conscientizar acerca das recomendações sanitárias contra a covid-19;
  • criança e adolescente: aumento dos testes do pezinho e atendimento para pessoas LGBTQIA+;
  • telecovid: 40.905 atendimentos até agora, 740 por semana;
  • covid nas unidades: menos de 1.000 atendimentos no 1º semestre de 2020 e quase 6.000 no 1º semestre de 2021.

O secretário Alan Rodrigo destacou a importância da atenção primária na cidade.

— O foco da nossa gestão é fortalecer a atenção primária. Com a unidade central funcionando os sete dias da semana, nós podemos trabalhar com a resolutividade. A população não precisa ficar duas ou três horas esperando na UPA para resolver um problema simples que pode ser resolvido na unidade — disse.

Administrativo

A secretaria também realizou o balanço administrativo dos primeiros seis meses de 2021. A área cuida de vários segmentos da secretaria, dentre eles a geração de contratos. A apresentação foi realizada pela diretora administrativa e interface jurídica da Semusa, Sheila Salvino.

Conforme informações da secretaria, 48 médicos foram contratados no primeiro semestre de 2021 por meio de 17 processos seletivos simplificados. Além disso, 113 novos contratos foram realizados, 145 aditivos e 45 rescisões contratuais.

21 contratos de prestações também foram executados. A secretaria também informou sobre 38 aditamentos e 195 atas de registros de preços. O valor dos contratos ativos chega a R$ 266 milhões, conforme as informações. Deste número, R$ 249 milhões, 93% do valor, estão na diretoria de regulação da saúde.

Outras áreas

Carlos Bruno Guimarães, responsável pela gestão financeira, apresentou os demonstrativos financeiros da Secretaria municipal de Saúde durante o primeiro semestre de 2021.

Érika Camargos Ferreira, responsável pela Vigilância em Saúde, também participou da prestação e divulgou informações sobre as fiscalizações no município. Volta às aulas nas escolas, focos de dengue e combate às aglomerações estiveram na pauta da profissional.

A reunião foi encerrada com quatro horas de duração e será retomada com a continuidade da prestação de contas em uma outra oportunidade.

Comentários
×