Secretaria estadual de Saúde reforça distanciamento em prevenção à covid-19

Da Agência Minas

Em coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira, 3, na Cidade Administrativa (Belo Horizonte), o secretário de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, atualizou o cenário da covid-19 no estado e destacou a importância de reforçar a prevenção à doença.

O apelo é para que toda a população esteja alinhada ao objetivo de aumentar não só as medidas de distanciamento social, mas também a efetividade desse distanciamento.

— Nesta semana, de acordo com a atualização do plano Minas Consciente, as macrorregiões de saúde Nordeste, Leste, Jequitinhonha e Leste do Sul retornaram para onda vermelha, que é a fase em que só funcionam serviços essenciais. Dessa forma, observamos que houve uma mudança no perfil epidemiológico nessas regiões, assim como em algumas outras, que retornaram para a onda amarela. É importante destacar que o objetivo dessa sinalização feita pelo Minas Consciente é indicar aos gestores municipais e à sociedade o momento de aumentar os cuidados no distanciamento para que tenhamos o controle da epidemia — destaca. 

Saiba mais sobre o plano Minas Consciente aqui: https://www.mg.gov.br/minasconsciente 

Testagem

O secretário também chamou a atenção para a ampliação dos critérios de testagem em Minas Gerais desde 6/10, quando todos os casos suspeitos de síndrome gripal pelo novo coronavírus passaram a ser testados.

— É importante destacar que, anteriormente, apenas os casos mais graves faziam o exame — explicou Carlos Eduardo Amaral, referindo-se ao teste RT-PCR. Atualmente, a Redecovid realiza, em média, 2.705 exames por dia, enquanto no início da pandemia eram feitos 77 exames, diariamente.

Resultados

 Amaral destacou ainda que o resultado positivo para covid-19 representa a média de 31% dos pacientes com sintomas gripais atendidos na rede pública atualmente, o que sinaliza um aumento no número de casos assistidos pela rede estadual.

Vacina

Sobre a perspectiva da chegada da vacina, Carlos Eduardo Amaral citou o memorando de entendimento assinado em 6/11 entre a Fundação Ezequiel Dias (Funed) e a Covaxx, divisão da norte-americana United Biomedical. Segundo ele, a partir daí, Minas terá conversas reais com a empresa, que está em processo de desenvolvimento de uma vacina contra o coronavírus. O grupo informa que prevê finalizar os testes até maio de 2021.

— Nossa expectativa é de que, a partir de uma possível parceria, possamos fazer as demais fases da vacina, afim de definir sua efetividade. Conversaremos também com o Ministério da Saúde (MS) sobre a possibilidade de essa vacina ser incorporada ao Programa Nacional de Imunização (PNI), caso a mesma venha a demonstrar eficácia, eficiência e aprovação da Anvisa — explicou.

Já o secretário adjunto de Estado de Saúde de Minas Gerais, Marcelo Cabral, destacou que memorandos de entendimento não geram custo, vinculação ou obrigação.

— O referido instrumento representa um protocolo de intenção para um futuro acordo oficial, lembrando que o PNI é um programa do MS, que dará o tom da temática para todo o país — explicou.

Comentários
×