Secretaria de Meio Ambiente de Divinópolis será ocupada por advogado de Nova Serrana

Ezequiel Cilas era presidente da OAB da cidade dos calçados

Da Redação

Na gestão Gleidson/Janete também terá gente de fora ocupando cargo, contrariando uma das promessas do prefeito eleito quando era candidato. Vem de Nova Serrana o advogado e presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ezequiel Cilas. Ele deixa a cidade para se juntar ao novo governo e comandar a Secretaria de Meio Ambiente e Políticas Urbanas

— Se precisasse de trazer secretário de fora eu iria trazer. Não porque Divinópolis não tem, mas porque aquilo que eu procurava em um secretário encontrei nele — justificou Gleidson, citando sua confiança no escolhido. Por sua vez, Janete destacou a importância do órgão para o desenvolvimento do Município.

— Dentro da pasta dele, passa para Divinópolis um dos maiores anseios dos empresários, principalmente aprovação de projetos, construções, e no meio ambiente tem muitos gargalos — comentou.

Com a palavra, Cilas se disse orgulhoso de integrar um governo que “veio para quebrar paradigmas”.

— Várias pessoas saem de Divinópolis para irem para Nova Serrana. Eu estou fazendo o caminho inverso. E o nosso sucesso será esse: fazer o caminho inverso que fez com que Divinópolis ficasse uma cidade ultrapassada em alguns aspectos — argumentou, acrescentando a necessidade de simplificar os processos e agilizar o desenvolvimento. 

Saúde

Diante do atual cenário, Gleidson classificou a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) como uma das mais importantes. O escolhido para a tarefa é Alan Rodrigo da Silva, atual superintendente regional de Saúde.

Antes da escolha, Amarildo Sousa, que deixou o cargo de secretário municipal de Saúde em razão das investigações da Polícia Federal (PF), era cotado para continuar à frente da pasta por mais quatro anos. Pelo desgaste, ele foi substituído por Alan. Apesar das apurações, Gleidson dedicou a live a Amarildo e falou sobre a admiração e respeito pelo ex-secretário pelo “trabalho excelente antes e durante a pandemia”.

— Isso vai passar, você não tem culpa disso. (...) Eu tenho certeza que você é um grande servidor e, depois que passar isso tudo, você vai fazer parte da equipe junto com nós (sic) — frisou.

Já a vice-prefeita agradeceu Amarildo pela contribuição, pois, antes do afastamento, ele colaborou para a construção do planejamento para os quatro próximos anos.

Para o novo chefe da pasta (farmacêutico-bioquímico, especialista em políticas e gestão da saúde e funcionário estadual desde 2008), é preciso recuperar o prestígio na cidade, começando pela valorização dos servidores.

— Divinópolis é o polo da macro. Só que esse destaque foi se apagando com o tempo — comentou.

A prioridade é ampliar, melhorar e modernizar as unidades de saúde, aumentando a qualidade da atenção primária.

Um projeto de farmácia volante já foi discutido e deve ser implementado para expandir o acesso à saúde e aos medicamentos, especialmente em regiões periféricas e na zona rural.

Durante a apresentação, destacou também a importância de buscar o equilíbrio entre a necessidade de manter o comércio aberto e controlar a pandemia.

— O desemprego também mata. A partir de 1° de janeiro, a gente conta com a conscientização da população de poder sair, comprar, ir no bar para a gente ter esse equilíbrio de manter o comércio aberto e, cada dia mais, reduzir o número de pessoas com coronavírus — argumentou.

O futuro secretário também reconheceu a importância de manter o funcionamento da cidade, mas solicitou a contribuição dos moradores.

— É fundamental entender que, apesar do que o poder público fizer, decretos e outras medidas, não vai mudar nada se a população não se engajar — finalizou.

Governo

Quem também faz parte do governo é a vice-prefeita eleita e atualmente vereadora, Janete Aparecida. Ao passar a palavra à sua colega de chapa, Gleidson a chamou de irmã e disse não se importar com os comentários de que ela fala mais do que ele.

— A vida inteira foi: “A vice só serve para ajudar o prefeito a ganhar”. Aí o dia que você coloca uma vice atuante igual o prefeito, eles acham ruim — comentou.

Com formação contábil e em direito e pós-graduação em políticas públicas, Janete terá, entre suas atribuições, promover reuniões periódicas com os secretários para avaliar o cumprimento de metas.

— Vou fazer a articulação política, principalmente entre a Câmara e a Prefeitura — complementou.

Sua intenção é fazer com que os divinopolitanos tenham orgulho de dizer que amam a cidade.

— Apenas unidos vamos conseguir fazer a diferença — finalizou.

Demais

Gleidson também anunciou Leandro Mendes como o novo procurador-geral. “Honrado e feliz” de aceitar o convite, ele disse estar empenhado em desenvolver projetos para implantar a “boa governança”.

— Entregar ao povo o que eles esperam, o serviço adequado — se comprometeu.

Na Controladoria, o nome escolhido foi do advogado e contador Diogo Andrade. Responsável por avaliar contratos, licitações e outras obrigações, ele prometeu ser os olhos de Gleidson e Janete.

— Vou cuidar de cada centavo da população de Divinópolis — disse.

Assessor Especial

Homem de confiança e braço direito de Gleidson, Fernando Henrique será o assessor especial do prefeito. O advogado especialista em gestão pública e direito administrativo fez parte da campanha do eleito e da avaliação dos secretários com foco em atender as demandas da “população que está carente de administração pública e não para interesses pessoais”.

— Eu estarei ao lado do Gleison e da Janete assessorando juridicamente e também no relacionamento com os demais secretários.

Aguinaldo Henrique Lage continuará no comando do Instituto de Previdência dos Servidores de Divinópolis (Diviprev). 

— Pela primeira vez em Divinópolis, os servidores trouxeram o nome de quem vai cuidar do dinheiro até chegar a aposentadoria — enalteceu Janete.

Servidor de carreira há 15 anos, advogado e pós-graduado em direito público e penal, o superintendente encara a continuidade no cargo com gratidão e como um grande desafio, dadas as mudanças promovidas pelas reformas previdenciárias.

— Meu objetivo é fortalecer o Diviprev cada vez mais para que ele seja referência nacional — ressalta.

Segundo ele, o instituto deve ser reconhecido nas próximas semanas como “um dos melhores institutos de previdência de Minas Gerais”, através do certificado Pró-Gestão – programa de certificação institucional e modernização da gestão dos Regimes Próprios de Previdência Social.

Longo caminho

Ao encerrar a transmissão, Gleidson Azevedo, a quase uma semana de tomar posse como prefeito de Divinópolis, destacou ver em todos os escolhidos qualificação para o cargo – sem indicações de partido ou por amizade. Por isso, qualquer um deles pode deixar o governo caso não apresente resultados.

— Eu não tenho compromisso políticos com vocês. Se vocês não desempenharem esse trabalho, possivelmente vocês não vão continuar. Falo isso olhando nos olhos de vocês — comunicou.

Aos divinopolitanos, ele pediu paciência.

— Tenham calma. (...) a gente vai mudar, mas é a longo prazo. Estou pegando uma cidade que vem há 20 anos sendo governada pelos mesmos. Eu tenho que voltar atrás para fazer muita coisa que já poderia estar na frente.

E finalizou, dizendo: “a gente vai mudar a história de Divinópolis”.

 

 

Comentários
×