São João de Deus demite funcionários que trocaram corpos no hospital

Júnia Máximo morreu na noite de ontem; hospital assume erro e afirma estar tomando todas as medidas

Bruno Bueno

A morte da ex-assessora parlamentar, Júnia Máximo, na noite de ontem, causa comoção no meio político de Divinópolis. Entre diversas homenagens, o presidente da Câmara Municipal, Eduardo Print Júnior (PSDB), decretou, pouco tempo depois, luto de três dias, que trabalhou na legislatura passada com o vereador Renato Ferreira (PSDB).

O sentimento de tristeza pela morte de Júnia se transformou, na manhã de hoje, em indignação. Conforme relatos de familiares, o corpo da ex-assessora foi trocado e levado para outra cidade. Em primeiro momento, acreditava-se que o corpo tenha sido levado para Pitangui, porém, novas informações passadas ao Agora por familiares da vítima afirmam que o paradeiro do corpo de Júnia Máximo é desconhecido. A família está em Conceição do Pará, município mais próximo de Pitangui, pois há a informação de que corpo de Júnia tenha sido levado para lá.

A superintendente do Complexo de Saúde São João de Deus, Elis Regina, disse com exclusividade à reportagem que os dois funcionários responsáveis pelos erros foram demitidos e que o Complexo toma todas as providências na tentativa de reparar a ocorrência.

— Os dois responsáveis pelo erro por parte do hospital já foram demitidos. Estamos realizando o procedimento padrão de retirada do corpo, ou seja, terá dupla checagem. É importante frisar que a Polícia Civil, Ministério Público ou qualquer órgão deste nível foi ao São João de Deus — afirmou.

Denúncia

A denúncia viralizou após a divulgação de um áudio que, supostamente, seria do cunhado da vítima, Jerry Adrini, que explicou, em tese, a situação.

— O enterro dela seria às 10h, e nós da família, estávamos esperando o corpo chegar no cemitério da colina. A funerária, juntamente com o São João de Deus, ligaram para a gente dizendo que o corpo dela desapareceu. A Polícia Civil e o Ministério Público estão no local — disse.

O homem também deixou um recado para que as pessoas fiquem atentas com os velórios de covid-19.
  
— Os dois responsáveis pelo erro por parte do hospital já foram demitidos. Estamos realizando o procedimento padrão de retirada do corpo, ou seja, terá dupla checagem. É importante frisar que a Polícia Civil, Ministério Público ou qualquer órgão deste nível foi ao São João de Deus — afirmou.

Desmentiu

O Agora procurou representantes do Complexo de Saúde São João de Deus para saber esclarecimentos sobre o ocorrido. A superintendente do hospital, Elis Regina, desmentiu as acusações de que o corpo estaria desaparecido.

— Em momento nenhum o corpo desapareceu. Houve um erro do hospital. A identificação dos dois corpos foi correta, no tórax e tornozelo. Porém, a identificação no saco onde pessoas com covid são enterradas não foi feita nas duas pessoas. Quem errou já foi demitida — disse.

Elis também deu mais detalhes sobre a transferência do corpo.

— A funerária de outra cidade veio buscar o corpo no São João de Deus. No entanto, tanto o funcionário do hospital, como da empresa, não observaram que o corpo que estava sendo levado não tinha identificação. Logo, o corpo da assessora foi levado, indevidamente, para a cidade vizinha — afirmou.

Providências

A diretora também afirmou que o hospital está tomando todas as providências para resolver a situação.

— O caso aconteceu por volta de 3h30. Logo pela manhã já começamos a tomar as providências. Concordo com a indignação da família, que está muito agitada. Se fosse meu parente também teria ficado assim. A vice-prefeita Janete e o presidente da Câmara estiveram no hospital e ajudaram com os trâmites — explicou.

Segundo Elis, o velório da ex-assessora ainda acontecerá nesta terça-feira. Uma funerária terceirizada foi contratada para realizar o enterro.

— Nós contratamos uma funerária terceirizada, já que a família não queria que a empresa realizasse o enterro (por conta do erro), e o Serviço Municipal do Luto de Divinópolis estava com sete óbitos para realizar. Disponibilizamos quatro kits completos para a família e o motorista do São João de Deus que levou a família para reconhecer o corpo e realizar, ainda hoje, o velório — ressaltou.

 

Confira o vídeo da Superintendente Regional Elis Regina dado com exclusividade pelo Agora.

 

Comentários
×