Samu descarta suspensão de serviços

 

Da Redação 

O Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região Ampliada Oeste (Cis-urg) afirmou ontem que Divinópolis não está na lista de devedores de mensalidades e que nenhuma cidade da região corre o risco de perder a cobertura do Serviço de Atendimento Móvel de Samu (Samu). O esclarecimento ocorreu após alguns órgãos de imprensa informarem o que foi desmentido e alguns secretários municipais questionarem. O Agora não fez isso.

De acordo com o secretário executivo do consórcio, José Marcio Zanardi, a instituição não divulgou nome de qualquer município inadimplente.

— Equipes do Cis-urg têm feito contato diário com as prefeituras que devem mensalidades, para que regularizem suas situações e assim não haja interrupção do serviço — explica.

A Prefeitura de Divinópolis procurou o consórcio para negociar sobre umas parcelas. Por isso, não é considerada como inadimplente pelo órgão.

Questionado pela reportagem, o Samu informou que não dá detalhes sobre débitos dos municípios, apesar de se tratar de dinheiro público.

 Único devedor 

Já o Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região do Vale do Itapecerica (Cisvi), formado por dez municípios, tem Divinópolis como único devedor: a parcela referente ao mês de abril está atrasada. O valor é de R$ 100 mil, conforme o Agora antecipou ontem.

Segundo o secretário executivo do consórcio, Marco Aurélio de Oliveira, o estatuto do Cisvi determina a suspensão dos serviços quando a inadimplência completa três repasses mensais.

— Divinópolis devia dois, mas pagou um — detalha.

 

 

Comentários
×