Salários na Câmara variam de R$ 1,3 a quase R$ 20 mil

 

Da Redação

Um analista de direito ganha mais que um vereador, hoje, em Divinópolis. As informações, disponíveis no Portal da Transparência da Câmara, mostram que os salários no Poder Legislativo variam entre R$ 1,3 mil e R$ 19 mil. A remuneração mais alta da Câmara é de R$ 19.860,99, e pertence aos cargos de analista de direito, técnico legislativo apoio administrativo, secretário legislativo e controlador geral. Enquanto o salário do vereador é R$ 11.572,41, o do pregoeiro é um pouco maior, de R$ 11.938,35.

Seguindo a ordem do mais alto para o mais baixo, os dados do Portal da Transparência mostram que os cargos de consultor de informações, diretor contábil financeiro, diretor de comunicação integrada, diretor de informática e tecnologia, diretor legislativo, assessor da presidência imediato, e assessor jurídico têm uma remuneração de R$ 10.312,80, pouco menos que o salário de um parlamentar. Já na casa dos R$ 9 mil estão os cargos de diretor de gestão de pessoas – R$ 9.821,71 – e secretário geral – R$ 9.611,58.

Entre os cargos do “alto escalão” estão os de analista legislativo de contabilidade, com vencimento de R$ 8.368,72, e procurador-geral, R$ 8.302,85. A Câmara tem ainda quatro remunerações para o cargo de analista legislativo direto. Os valores são: R$ 7.509,99; R$ 6.292,28; R$ 5.992,65 e R$ 5.707,29. O cargo de coordenador do serviço de apoio ao vereador também está na casa dos R$ 5 mil, sendo de R$ 5.245,72 o salário. A função de analista legislativo tecnológico de informação também está incluída nos vencimentos de R$ 5 mil – R$ 5.193,63.

O cargo de diretor de administração e suplementar é o único com remuneração de R$ 4.910,86. Logo depois dele, os salários do Poder Legislativo já caem para a faixa de R$ 3 mil. Os cargos e salários são: assessor da presidência assessor imediato, R$ 3.847,79; assistente de arquivo, R$ 3.622,63. A função de técnico legislativo apoio administração, por sua vez, possui três remunerações: R$ 3.622,63; R$ 3.450,11 e R$ 3.450,11. Por fim, para o cargo de técnico legislativo de informática o vencimento é de R$3.129,36.

Assessores

Os salários dos assessores dos vereadores variam entre R$ 2 mil e R$ 7 mil. A remuneração mais alta é a de assessor parlamentar coordenador político: R$ 7.472,09. O segundo maior vencimento é o de assessor parlamentar de relações parlamentares, de R$ 5.203,78. Já o terceiro é o de assessor parlamentar articulação política, de R$ 2.898,10; e, por último, o de assessor parlamentar de relações comunitárias: R$ 2.668,60.

Cada vereador tem direito a nomear quatro assessores, chegando-se a 68 assessores parlamentares.

“Mais baixos”

Os salários “mais baixos” começam com o de assessor da presidência chefe de gabinete, sendo a remuneração de R$ 2.253,41. Para o cargo de diretor, por sua vez, o vencimento é de R$ 2.143,76. Já para a função de assessor da Presidência, o salário é de R$ 1.957,20. Finalizando os cargos de assessores da presidência, está o de “assessor da presidência”, com remuneração de R$ 1.957,20.

Para as últimas seis funções, que pertencem ao “baixo escalão”, os vencimentos variam de R$ 1,3 mil a R$ 1,7 mil. Os cargos e seus salários são: coordenador de transporte, R$ 1.722,71; coordenador de controle patrimonial, R$ 1.722,71; coordenador de comunicação, (R$ 1.722,71; coordenador de apoio de vereador, (R$ 1.722,71; assistente apoio técnico operacional, R$ 1.367,42;  assistente de comunicação, R$ 1.367,42.

Folha de pagamento

De acordo com a Câmara, a folha de pagamento sofre variações, mas em média custa cerca de R$ 950 mil, incluindo servidores, vereadores e encargos previdenciários. O Poder Legislativo tem, ainda, um contrato com a terceirizada Pontal Prestadora de Serviços Ltda, no valor de aproximadamente R$ 108 mil. Pela terceirizada, são contratados os funcionários dos setores de segurança, limpeza, logística, atendimento e operacional em plenário, da TV Câmara.

Comentários
×