Salários do concurso da Prefeitura de Divinópolis vão de R$ 1, 2 mil a R$ 8,8 mil

 

Ricardo Welbert 

Foram publicados ontem no "Diário Oficial dos Municípios Mineiros" os editais do concurso público da Prefeitura de Divinópolis. São ofertadas 358 vagas e a execução é de responsabilidade do Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC). A empresa vem sendo alvo de reclamações de fraudes na realização de um concurso em Pernambuco.

São 107 cargos disponíveis para diversas áreas e os salários variam de R$ 1.2591,51 a R$ 8.829,79. Entre as áreas que mais possuem vagas estão professor para atuação na educação infantil e nos anos iniciais do ensino fundamental, com 30 vagas e salário de R$ 2.020,15. Para técnico de enfermagem são 20 vagas com remuneração de R$ 1.680,69. Já para agente de administração são 20 vagas com salário de R$ 1.291,51.

São 207 vagas para o ensino superior, 84 para o médio e 67 vagas para o ensino fundamental. As inscrições serão realizadas pela internet, no endereço eletrônico ibfc.org.br, de 3 de janeiro a 1º de fevereiro de 2018. As provas serão no período da manhã e da tarde, de acordo com o cargo desejado. São reservadas 5% das vagas para pessoas com deficiência.

O prazo de validade do certame será de dois anos, contados a partir da data da homologação do resultado final e pode, a critério da Prefeitura, ser prorrogado por igual período. Os candidatos nomeados estarão sujeitos ao Estatuto dos Servidores Públicos do Município de Divinópolis, Lei Complementar n° 009, de 03 de dezembro de 1992 e suas alterações.

IBFC 

A empresa, escolhida pela Prefeitura de Divinópolis para a realização do certame por meio de licitação, está no Centro de uma polêmica em Pernambuco, onde 179.548 pessoas se inscreveram para um concurso público do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) e alguns candidatos alegam irregularidades e suspeita de fraude na aplicação das provas da seleção.

Segundo relatos de candidatos, uma das irregularidades diz respeito à folha de resposta para a prova discursiva. Um dos itens do edital do concurso proibia qualquer forma de identificação do candidato na folha destinada às respostas discursivas, mas, no entanto, a folha para a redação seria a mesma para o gabarito, onde constava dados como nome, RG e número de inscrição do candidato.

Além disso, os candidatos também denunciam não ter sido submetidos ao uso do detector de metal para entrada no local de prova e sala do exame, o que é de praxe nos concursos públicos para evitar fraudes no momento da prova.

Na internet foi aberta uma petição pública que já conta com mais de dez mil assinaturas pedindo a anulação das provas aplicadas pelo IBFC. O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) afirmou que recebeu um grande número de reclamações e que está fazendo a triagem das denúncias para, possivelmente, abrir um procedimento investigatório.

Em nota, o TJPE afirma que não tolerará irregularidades e que atendeu a todos os itens estabelecidos no edital de licitação, sendo a empresa por esse motivo, habilitada para a realização do certame.

— A tecnologia adotada possibilita e garante que as provas discursivas sejam corrigidas online, com toda a segurança e garantia de anonimato — declara.

Sobre haver identificação na folha de respostas, o IBFC afirmou ser necessária no início da prova, para que seja certificado que cada candidato tenha sua prova entregue corretamente, sem que haja qualquer tipo de troca. Diz ainda que nunca enviou aos corretores o documento original para avaliação.

— Vê-se, então, que o inconformismo apresentado não tem o menor fundamento para prosperar tratando-se mais de uma estratégia para desarticular a avaliação em prol de candidatos com baixo desempenho do que propriamente um apontamento de irregularidade no procedimento — finaliza.

Pelo que consta no site do IBFC, em breve será publicado o edital para o concurso público do Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Divinópolis (Diviprev).

O IBFC tem como endereço a rua Waldomiro Gabriel de Mello, 86, na Chácara Agrindus em Taboão da Serra, em São Paulo.

 

 

Comentários
×