Sabatinar servidores

Sabatinar servidores

 

O ofício 102/2019, de autoria do vereador Edson Sousa (MDB), pede ao edil Eduardo Print Jr. (SD), presidente da Comissão Permanente de Administração da Câmara Municipal, que convoque todos os funcionários da Câmara e do Executivo, de recrutamento amplo, para serem sabatinados pelos parlamentares. Segundo Edson Sousa, o objetivo da convocação seria atender a várias denúncias de que vereadores indicaram apaniguados para cargos na Prefeitura, uns mais, outros menos, chegando mesmo até nove apadrinhados. Diante disso, entende importante que servidores sejam sabatinados, para se descobrir quem os indicou. Concordo com este pedido de Edson, até porque tenho denunciado aqui na coluna a suspeita de que edis indicam amigos para trabalhar na Prefeitura em troca de apoio ao prefeito na Câmara, expediente a que chamo de troca-troca. Mas...

 

Mas...

 

Sugiro ao vereador Print Jr. que estenda esta lista de chamada de servidores de recrutamento amplo a serem sabatinados, retrocedendo à época em que os edis Edson Sousa (MDB) e Rodrigo Kaboja (MDB) foram líderes do governo Galileu Machado, e que avance para o tempo em que o vereador Adair Otaviano (MDB) foi presidente da Casa Legislativa e finalize neste período, em que Kaboja é o presidente da Mesa Diretora. Ora, se há suspeita de troca-troca entre edis e o prefeito, que sejam investigadas todas estas articulações dentro do mandato 2017/2020, e não apenas parte.

 

Tucanos e eleição 2020

 

Confesso que até hoje não entendi a estratégia política e eleitoral do deputado Domingos Sávio (PSDB) para Divinópolis. Tenho claro que o deputado tucano é um leal parceiro de Divinópolis, e isso me atormenta mais.

Vamos aos fatos: na eleição de 2012, o candidato tucano Vladimir Azevedo reelegeu-se com 43.545 votos e, como em 2016, o candidato a prefeito pelo PSDB, Luís Militão, obteve apenas 9.341 votos, vê-se que o PSDB perdeu na cidade 34.204 votos na disputa para a Prefeitura. E não foi só isso: o PSDB perdeu ainda uma vaga na Câmara Municipal, onde tinha dois vereadores e agora apenas um, Renato Ferreira. Mas o alerta se deu em 2014

 

Sinal amarelo em 2014

 

Esta derrocada política e eleitoral do PSDB em Divinópolis iniciou-se em 2014, quando o deputado Domingos Sávio obteve, em Divinópolis, apenas 17.670 votos. É que, em 2010, o deputado saiu das urnas aqui com 29.494 votos, o que significa que ele perdeu 11.824 votos em quatro anos. Era evidente que eleitores estavam enviando um aviso ao tucano.

Ele e assessoria não perceberam ou ignoraram. Era evidente que algo estava errado no marketing político do tucano, pois, nacionalmente, ele brilhava neste período. O deputado Domingos atuou durante os governos petistas, na oposição, revelando-se um hábil articulador parlamentar, sendo inclusive eleito de forma sucessiva entre os mais influentes políticos da Câmara Federal. Mas este honroso título foi pouco ou mal explorado, já que, pela cidade, poucos eleitores tomaram conhecimento desse fato. Isso justifica a obtenção de apenas 3.973 votos? E agora?

 

Tucanos e eleição 2020 II

 

Pegando novamente o fio da meada: e agora, deputado, quais são os planos do PSDB para as eleições de 2020? Tucanos terão candidato encabeçando chapa majoritária? Terão candidato a vice-prefeito, ou vão apenas reforçar a chapa de vereadores para a legislação 2021/24? A verdade é que o apoio com verbas e obras que o deputado dedica à cidade o credencia a ocupar papel de protagonista nas articulações políticas com vistas às eleições de 2020. Com a palavra Domingos Sávio, e o espaço está aberto.

 

"Refloreste a Alemanha, Merkel!"

 

Primeiro foi a Noruega, que é dona de mineradora denunciada por poluir rios amazônicos, que criticou a política do governo Bolsonaro para a Amazônia. Depois foi a Alemanha, país onde só restam 2,5% da Floresta

Negra.

Por isso, o presidente Bolsonaro sugeriu que a chanceler Ângela Merkel utilize o dinheiro que seria enviado ao Brasil para reflorestar a Alemanha. “Pegue essa grana (R$ 80 milhões) e refloreste a Alemanha, ok?” E concluiu: “Lá, está precisando muito mais do que aqui e, se for preciso, o Brasil pode disponibilizar sementes para reflorestar países europeus", ofereceu o capitão.

Comentários
×