Roubo de celular é um dos crimes mais comuns

Plataforma implementada pela PM tem ajudado no combate ao crime e receptação; veja dicas de segurança

Da Redação

Um dos crimes mais comuns nas cidades, atualmente, é o roubo de aparelhos celular. Divinópolis não escapa dessa realidade, que é nacional. A Polícia Militar (PM) apreendeu, na última terça-feira, 11, um aparelho que estava com um adolescente, no bairro Nossa Senhora das Graças. O aparelho, que havia sido roubado anteriormente, foi encontrado na casa onde o menor de idade reside. Os policiais entraram na residência com a permissão da mãe dele.

O aparelho foi apreendido, diferente do adolescente, que não foi detido. A mãe dele terá de comparecer à delegacia para prestar esclarecimentos.

Outro crime

O destino dos celulares roubados, quando não são recuperados pela polícia, é a venda no mercado clandestino. Ou seja, é um crime seguido de outro. A receptação acontece também quando uma pessoa adquire uma mercadoria fruto de roubo. Por isso, as autoridades de segurança destacam  a importância de sempre consultar a procedência do aparelho quando ele não for comprado em loja especializada em telefonia.

Com o objetivo de frear o crescimento do crime, a Polícia Militar desenvolveu uma plataforma que está ajudando na localização de celulares roubados. A implementação do Centro de Bloqueio de Celulares (Cbloc) possibilita que pessoas que tiveram o aparelho roubado solicitem o bloqueio. Para isso, é necessário registrar um boletim policial e acessar a página da Polícia Militar na aba “Celular Seguro”.

O Cbloc, lançado no ano passado dentro das comemorações dos 244 anos da PM, é uma estratégia de enfrentamento aos crimes de roubo e receptação, pois, quando informado no sistema o roubo do aparelho, ele perde valor de mercado, e isso impede que o dono tenha informações pessoais vazadas ou usadas em outros crimes.

Divinópolis é referência no uso do Cbloc, chegando, em abril de 2019, a ter mais registros de celulares roubados no sistema do que a região metropolitana da capital, Belo Horizonte.

Trabalhos

Além do Centro de Bloqueio de Celulares, a Polícia Militar trabalha com outras frentes de repressão aos crimes de roubo e receptação. O comandante do 23º Batalhão da PM, tenente-coronel Rodrigo Coimbra, conta que os esforços dos órgãos de segurança acontecem no sentido de proteger a população e combater esta prática.

— A PMMG realiza diversas ações e operações preventivas e repressivas contra o furto e roubo de celulares na cidade, visando à prevenção de delitos, repressão imediata aos furtos e roubos de celulares e identificação de possíveis receptadores dos aparelhos — explicou.

Carnaval

Embora o Carnaval seja uma data em que há o reforço do policiamento na cidade, a polícia esclarece a necessidade de se prevenir para não ter qualquer problema com seu aparelho. As dicas de segurança vão desde o uso de tela para dificultar a ação dos bandidos e ganhar tempo até registrar o ocorrido até repensar a necessidade de levar o aparelho para os blocos.

Outra sugestão de segurança é não carregar dinheiro ou cartões na capa de proteção do aparelho, e isso vale para o dia a dia. A PM também recomenda que os foliões evitem locais tumultuados e prestem atenção em esbarrões e empurrões, que geralmente são uma tática de bandidos para subtrair aparelhos. Segundo a Polícia, em caso de roubo, é essencial o registro para auxiliar na procura pelo bem.

Comentários
×