Romeu Zema visita a região hoje

Governador, que nunca veio a Divinópolis depois de eleito, entrega respiradores em Oliveira

Da Redação 

O governador Romeu Zema (Novo) e o secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, entregam, hoje às 15h45, em Oliveira, cidade a cerca de 60 quilômetros de Divinópolis, respiradores para equipar o Hospital São Judas Tadeu.

Os aparelhos, segundo o governo, vão possibilitar a abertura de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para ampliar a capacidade de atendimento a pacientes da covid-19 no município e região.

O local da visita será a Escola Municipal Djalma Pinheiro Chagas, à avenida Monsenhor Leão, 100, bairro Aparecida.

Não é a primeira vez que Romeu Zema passa pela região depois de sua eleição ao governo do Estado. Porém, em Divinópolis, segunda cidade em Minas onde recebeu mais votos, o governador ainda não deu as caras. Chegou até a marcar, mas cancelou, pois não dispunha de tempo suficiente no dia. 

Cidades menores 

A partir de amanhã, 362 cidades mineiras com menos de 30 mil habitantes poderão avançar automaticamente para a onda amarela do plano Minas Consciente. No Centro-Oeste, há diversos municípios inclusos nesta nova fase do programa. Um exemplo é a vizinha Carmo do Cajuru, que tem cerca de 20 mil habitantes. 

Esses municípios, que agora estão autorizados a abrir serviços não essenciais, como bares e restaurantes, registraram menos de 50 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias. O avanço poderá acontecer independentemente da situação das macro ou microrregiões nas quais estão inseridos.

A decisão foi tomada nesta quarta-feira, 5, pelo Comitê Extraordinário Covid-19. A regra específica para cidades pequenas é uma das mudanças trazidas pelo novo Minas Consciente. O plano foi reformulado, após consulta pública, para se adaptar ao atual momento da pandemia, mantendo como prioridade a saúde dos mineiros.

Menos pessoas 

O governador explicou que o tratamento diferenciado para cidades menores levou em conta que a maior parte delas não possui transporte coletivo relevante e apresenta menos tendência a aglomerações.

— A autonomia que estamos dando às cidades que possuem menos de 30 mil habitantes e têm baixa incidência da doença não é, de forma alguma, uma flexibilização que desconsidere os critérios de saúde. São cidades onde não há um transporte público intenso. Ele pode até existir, mas nada que gere um pico, uma aglomeração, ônibus lotados, como geralmente se vê em cidades maiores. Por isso, a chance de transmissão é muito menor — disse ele, lembrando que Minas Gerais possui 763 cidades com menos de 30 mil habitantes.

Cuidados

Zema também lembrou que todos os cuidados devem ser mantidos para que a doença continue sob controle no estado.

— O objetivo dessa nova fase do plano é aprimorar as regras e tratar as necessidades específicas das cidades mineiras, mas gostaria de lembrar que o momento ainda pede cautela. Minas continua, pela segunda semana seguida, como o estado que possui a menor taxa de mortes do Brasil. Conseguimos esse resultado graças à dedicação dos mineiros, que estão usando máscara de proteção e mantendo as medidas de distanciamento e higiene. Peço a todos que continuem assim — enfatizou.

 

Comentários
×