Rodrigo Bessa é selecionado para o Boulevard Fashion Design

Professor e produtor de moda divinopolitano apresenta trabalho na última fase do concurso em um desfile no próximo dia 23

Gabriel Rodrigues

O professor e produtor de Moda Rodrigo Bessafoi selecionado em um dos mais importantes concursos de criadores de moda do Estado de Minas Gerais, o Boulevard Fashion Design. Doutorando em design, Rodrigo concorreu com inúmeros designers de modado estado e precisou apresentar seis croquis com as devidas fichas técnicas e uma pequena descrição da temática, ou seja, uma coleção conceitual inédita.

Rodrigo trabalhou com o conceito da coleção “Reiniciar: desconstruir para construir”.

– É uma quebra de paradigmas dos conflitos internos do designer de moda Rodrigo Bessa, que parte de sua trajetória profissional, pois trabalhei no processo de cópias de moldes e estampas durantes anos, daquilo que era visto como a “última moda”, para atender às exigências do mercado fast fashion da empresa familiar – explica Rodrigo.

 “Reiniciar” 

Segundo a pesquisa elaborada por Rodrigo, as estampas digitais e bordados industriais remetem à “desconstrução” do processo criativo, como: tesouras, linhas, pontos, marcações e riscos de moldes; e fazem analogia com a experiência de vida do criador.

A temática “Reiniciar” parte da ideia da “desconstrução” das peças nas formas geométricas do vestuário, sendo o diferencial da coleção o design de superfície, em especial a estamparia digital e o bordado industrial em tecidos como Brim, Neoprene, Malha Crepe, Cetim (forros) e Malha PV.

– Vale ressaltar que a “desconstrução e construção” estão relacionadas com os processos criativos da criação, modelagem e prototipagem do design de moda, ou seja, o conceito remete ao dia a dia do designer e demais profissionais do “chão de fábrica”, partindo das reflexões e experiências de vida do criador da coleção – destaca o professor.

Rodrigo ainda explica que a cartela de cor da coleção é formada por preto, que representa ausência de luz, conflitos internos do criador, que serão desconstruídos;a cor cinza, diante das incertezas da realidade mercadológica do modismo versus insights dos processos criativos. Em contraste, o branco, que representa a luz, as ideias, a criação, as possibilidades de mudanças, através da construção de uma moda autoral.

Desfile 

Já a modelagem de algumas peças traz a discussão do gênero para o universo feminino e outras foram criadas a partir do estilo clássico, através do processo de manufatura e técnicas de alfaiataria.

– Assim, os moldes em questão também remetem o conceito “Reiniciar: desconstruir para Construir”, com a finalidade de criação de um design autoral focado no slow fashion – conta.

A última fase do concurso será o desfile no dia 23 de setembro, a partir das 17h, quando os finalistas vão apresentar suas coleções, em um evento aberto ao público no Boulevard Shopping, Belo Horizonte. Na ocasião, o júri escolherá os três trabalhos vencedores do “Boulevard Fashion Design 2017”. Organizado pela consultora de moda Zoka Vassalo, os critérios de avaliação serão qualidade das ideias, desenvolvimento temático e produto final.

 

 

Comentários
×