Rodovias da região registram 84 acidentes com 7 mortes em março

 

Da Redação

Uso de bebida alcoólica, falta de atenção e alta velocidade costumam puxar o ranking dos acidentes registrados nas rodovias brasileiras. Na região Centro-Oeste não é diferente. Estatística divulgada ontem pela 7ª Companhia da Polícia Rodoviária (PMR) comprovam os perigos do dia a dia nas estradas.   Responsável pelo patrulhamento de 45 rodovias do Centro-Oeste, a PMR realizou um levantamento dos acidentes de trânsito com vítimas ocorridos no mês passado nas rodovias de sua circunscrição.

O comandante da Companhia, major Alexsander de Oliveira Silva, informou à reportagem que foram registrados 84 acidentes com vítimas, sendo sete destes com vítimas fatais.

Revelou ainda que, conforme verificado por equipes de policiais rodoviários responsáveis pelo atendimento das ocorrências, as principais causas presumidas estão relacionadas com excesso de velocidade, falta de atenção dos condutores, além de não manterem distância de segurança em relação ao veículo que trafega à sua frente.

Causas

O comandante alerta no sentido de que os acidentes podem ser evitados a partir do momento em que os motoristas passarem a empregar, na condução veicular, uma direção defensiva, respeitando limites de velocidade e obedientes às placas de sinalizações existentes ao longo das rodovias.

— A Polícia Militar Rodoviária vem intensificando operações nos locais de maior incidência de acidentes, empregando radares móveis, etilômetros e orientando os usuários das rodovias — conta.

De acordo com o comandante, o lema é: “dirigir com responsabilidade é preservar vidas nas estradas”.

Acidente na MG-050

O último acidente com morte foi registrado na manhã de domingo, quando o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado MG-050. O carro, um Fiat Uno, bateu contra a mureta de concreto da praça de pedágio da AB Nascente Gerais, em São Sebastião do Oeste, deixando cinco vítimas, sendo uma fatal.  Quando o Samu chegou ao local encontrou uma mulher, de 89 anos, em parada cardiorrespiratória.

Além da senhora, outras quatro pessoas, sendo dois homens e duas mulheres, não identificados, se feriram na batida. O Samu os encontrou presos nas ferragens do automóvel e acionou o Corpo de Bombeiros para assistência. Com a chegada dos militares, as vítimas foram retiradas do carro e atendidas pela equipe médica. Os dois homens e uma mulher foram encaminhados para um hospital particular da cidade.

A outra mulher estava consciente, com suspeita de fratura no colo do fêmur na perna direita e reclamava de fortes dores. Ela foi levada para a Sala Vermelha do Complexo de Saúde São João de Deus (CSSJD). A causa do acidente ainda é apurada.  

Acidente nas rodovias

Os números de acidentes nas praças de pedágios nas rodovias brasileiras são altos. Apesar disso, em 2018, a AB Nascentes Gerais diz que houve redução de 35% o número de acidentes com mortos, além de uma queda de 4% do número de acidentes registrados. Estes resultados, segundo a concessionária, são um reflexo de diversos investimentos em obras de ampliações de capacidade e melhorias do Sistema MG-50/BR-265/BR-491, tais como duplicações de pistas, implantações de terceiras faixas, correções de curvas e serviços de conservação rotineiros.

Dicas de Segurança

Segundo levantamento do Observatório Nacional de Segurança Viária, 90% dos acidentes ocorrem por falhas humanas. Os exemplos são uso do celular, falta de equipamentos de segurança como capacete ou cinto de segurança, excesso de velocidade, uso de bebidas alcoólicas antes de dirigir, e conduzir com sono.

Para evitar acidentes e colisões nas praças de pedágio, os usuários das pistas automáticas devem estar atentos a algumas regras de segurança, elencadas pelo Observatório.

  • Respeite o limite de velocidade máxima de 40 Km/h ao passar pelo pedágio.
  • Mantenha distância de pelo menos 30 metros do veículo que está à sua frente.
  • Na entrada e passagem pela pista automática, mantenha velocidade constante e dentro dos limites definidos.
  • Fique atento em relação a veículos pesados ou em alta velocidade na passagem pela pista automática; esses veículos podem ter capacidade de frenagem inferior à do seu veículo.
  • Caso a cancela não abra, aguarde as orientações de um funcionário da concessionária e mantenha o pisca-alerta do seu veículo ligado até o atendimento.

 

 

Comentários
×