Retrospectiva 2017: confira o que foi destaque no Agora

Flávio Flora

Os temas mais presentes no noticiário de 2017 referiam-se ao elevado número de assassinatos; ao fechamento de empresas tradicionais; às dificuldades da gestão Galileu Machado, diante da crise financeira do município; aos problemas relacionados ao abastecimento de água e tratamento de esgoto e a CPI instaurada para investigar o tema; ao fraco regime de chuvas; problemas no atendimento da UPA Padre Roberto; aos abusivos trotes no Samu Oeste; ao destaque das exportações metalúrgicas na economia. Veja a seguir, mês a mês, os principais fatos do ano.

 

Janeiro

O ano de 2017 começa com a Copasa ganhando mais tempo para terminar ETE Itapecerica (até 2018), enquanto a nova gestão Galileu Machado (PMDB) começa a se formar, com a promessa de que não vai governar para grupos. Igreja Católica celebra os 250 anos de fundação do povoado “da Itapecerica”, que deu origem à cidade de Divinópolis (13/01/1767). Presídio Floramar prossegue abarrotado, com cerca de 700 presos num espaço destinado a 277. Aterro sanitário pode ser próximo a Marilândia e servir a 12 municípios e cinco transbordos. Janeiro de poucas chuvas e de termômetros nas alturas registrou índice três vezes menor do que 2016.

 

Fevereiro

O Carnaval temporão de Divinópolis viu crescer o Bloco do Cléo, no segundo ano, com mais de dez mil foliões pelo Centro. Prefeitura paralisa obras do PAC, ainda vivendo tempo de transição administrativa, enquanto a Câmara (em primeira reunião) apresenta-lhe cerca de 300 indicações de obras e serviços. Região de Divinópolis apresenta baixa taxa de pobreza, mas continua a quarta mais violenta de Minas. Houve protesto contra a reforma da Previdência com 2,5 mil manifestantes nas ruas do Centro. O governador Fernando Pimentel (PT) visitou a cidade para entregar viaturas da Polícia Militar e foi hostilizado pelo vereador Cleitinho Azevedo (PPS).

 

Março

O primeiro trimestre se fecha com o Guarani trocando de técnico, depois de uma campanha pouco produtiva. É elevado o número de registros de agressões contra mulheres em Divinópolis. Com a grande oferta, a locação de imóveis sofreu redução de até 9,4%, a primeira em cinco anos. O Jornal Agora comemorou a edição impressa 12.000, aos 46 anos de idade. Nas ruas, as manifestações contra as reformas propostas pelo presidente Michel Temer (PMDB) prosseguem e eclode greve nas escolas estaduais. A crise econômica atinge a companhia têxtil Fitedi, resultando em 350 demissões.

Gerson Evaristo assume o comando do Guarani 

Abril

Começa abril com protestos nas ruas, inauguração de nova sede do Fórum Manoel de Castro e a denúncia de abandono do Parque do Gafanhoto. Prefeitura enfrenta estado de calamidade financeira e reduz jornada de trabalho para seis horas, enquanto a Câmara passa a trabalhar desde cedo. Surge a oposição ao Executivo, PMDB racha. A situação da UPA Padre Roberto continua grave, parecendo um hospital com 60 pacientes internados. O judoca Ítalo Henrique, de Divinópolis, é campeão brasileiro, enquanto o fenômeno “Baleia Azul” chega à cidade. As manifestações contra as reformas do governo levam milhares às ruas e une 16 sindicatos locais.

 

Maio

O ano segue seu curso com prefeitos e vereadores protestando em Brasília contra a injusta distribuição da arrecadação. Ativistas chamam a atenção para a destinação do lixo urbano. As exportações de itens metalúrgicos para Republicana Dominicana e Siri Lanka, principalmente, crescem 161%. Divinópolis tem IDHM alto, destacando-se em longevidade e educação, mas sofre com a guerra do tráfico, registrando-se três execuções em uma semana e vários casos de violência interpessoal. Governo Estadual deixa claro que não tem recursos para concluir Hospital Regional.



Junho

O mês começa com edição especial de comemoração dos 46 anos de fundação do jornal Agora, inaugurando novo formato impresso, com mais conteúdo. O Samu finalmente é inaugurado pelo governador Fernando Pimentel e enfrenta surpreendente fase de trotes. O 29o assassinato é registrado pela PM e delegado admite intensa “guerra do tráfico”. Disputa por imagem de São Francisco de Paula chega à Justiça por ação do Ministério Público e comércio ilegal prolifera pelas ruas centrais.

 

Julho

Crise econômica faz Gerdau paralisar área de laminação, com dezenas de demissões. Ministério das Cidades destina (em portaria) R$ 143 milhões para recuperar o rio Itapecerica. Estado de calamidade financeira municipal é suspenso. Polícias militar e civil intensificam ações na região para conter a violência, que já matou 35 em Divinópolis. Casos de HIV aumentam e maus-tratos a criança de um ano choca população. Clínica Bento Meni deixa de atender pelo SUS, mas não fecha.

 

Agosto

Entra o mês com fechamento da Sorbon (distribuidora da Kibon) e demissão dos 65 funcionários; desemprego no setor confeccionista também cresce. Inicia período de Vigilância Sanitária em clínicas de reabilitação após denúncias de maus-tratos. Conselho Tutelar está sem plantão e o Samu Oeste consegue eficiente atendimento. Roubos diminuem, mas assassinatos continuam e já chegam a 40. As exportações de semimanufaturados de ferro ou aço não-ligado continuam em alta. Situação da UPA Padre Roberto se agrava com superlotação e, na Câmara, o elevado calor dos debates mostra vereadores analisando os problemas da cidade aos gritos e em atos teatrais.

 

Setembro

A primavera começa seca, com a cidade sem chuvas há 100 dias. Vigilância das clínicas de recuperação continua e quatro são fechadas. CPI para investigar contratos com a Copasa é instaurada; cidade sente problemas no abastecimento. Cresce número de acidentes com motos e carros e chamadas falsas chegam a 17 mil em três meses de funcionamento do Samu. Carros de luxo de aliado de Sérgio Cabral estavam guardados em Divinópolis. Tribunal de Justiça anuncia fechamento da Quinta Vara e advogados censuram decisão. UPA Padre Roberto vive o caos.

 

Outubro

Começa o período mais tenso do ano na Câmara Municipal com a proposta de revisão da planta de valores para aumento do IPTU.  Hospital São João de Deus anuncia vitória sobre a crise que ameaçava fechá-lo. Assassinatos chegam a 51, superando número de 2016. Polícia intercepta carreta com duas toneladas de maconha e 40 pistolas. CPI da Copasa revela que empresa trabalha sem licença ambiental. O número de moradores de rua preocupa o serviço social. Encontrado lixo hospitalar abandonado em imóvel do bairro Icaraí. Casos de afogamentos aumentam 30% na região.

 

Novembro

Penúltimo mês começa com as importações locais crescendo 73%. Ex-servidora municipal é condenada a 20 anos de prisão por abusar de criança de três anos em creche. Santa Casa de Formiga, administradora da UPA Padre Roberto, é acusada destinar recursos da unidade para outros fins e crise na saúde se acentua. Vice-prefeito Rinaldo Valério (PV) sofre críticas do vereador Delano Pacheco (PMDB). IPTU começa a dominar as conversas políticas e incomoda a especulação imobiliária. Superlotado, Presídio Floramar vive dois motins em uma semana.

 

Dezembro

O ano de 2017 caminha para o fim com notícia de que ex-prefeito Demétrius Arantes Pereira foi condenado a seis anos de prisão, mas recorre em liberdade. Número de licenciamentos de veículos cai 13%. Vereadores instauram CPI para investigar administração da UPA Padre Roberto, enquanto Prefeitura decreta calamidade financeira na Saúde. Ruas centrais são ornamentadas para o Natal com luzinhas pelos próprios comerciantes. Cai número de matrículas na rede pública de ensino em Divinópolis. Câmara leva debate sobre IPTU para bairros mais afetados pela nova planta de valores e vota nova proposta ao apagar das luzes de 2017.

Comentários
×