Retomada da confiança dos industriais melhora

Indicador recuperou a pequena queda ocorrida no mês anterior, aponta Fiemg

Pablo Santos

Na reta final do ano, o empresário mineiro volta a ficar mais confiante no cenário econômico. O Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei) aumentou 3,0 pontos em relação a outubro (59,6 pontos), atingindo 62,6 pontos em novembro, de acordo com a pesquisa mensal da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg). 

Após o resultado, o indicador recuperou a pequena queda ocorrida no mês anterior (-0,6 ponto), e retornou à sua trajetória crescente. 

— Desde outubro de 2018, o índice aponta empresários confiantes, com valores acima de 50 pontos – fronteira entre confiança e falta de confiança. O estudo é realizado pela Gerência de Estudos Econômicos da Fiemg, em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI) — destacou a nota técnica da federação.

Contribuíram para a recuperação da confiança dos industriais a melhora das perspectivas de crescimento econômico, a recuperação gradual do mercado de trabalho, a inflação controlada e os juros mais baixos.

— O resultado de novembro foi o melhor para o mês em 10 anos, com exceção de 2018 (63,3 pontos), quando o indicador foi impulsionado pelo efeito pós-eleitoral. O Icei nacional também voltou a crescer, com avanço de 3,2 pontos entre outubro (59,3 pontos) e novembro (62,5 pontos) — apontou a nota técnica.

Quinta

A Fiemg ressalta que o Icei resulta da ponderação dos índices de condições atuais e de expectativas, que variam de 0 a 100 pontos.

— Valores acima de 50 pontos indicam percepção de situação atual melhor e expectativa positiva para os próximos seis meses, respectivamente. O componente de condições atuais aumentou 3,9 pontos em novembro (56,5 pontos), frente a outubro (52,6 pontos) — afirmou.

Ainda conforme os dados da Fiemg, esta foi a quinta elevação mensal consecutiva do indicador, que vem mostrando empresários mais satisfeitos com a situação atual das economias brasileira, mineira e de suas empresas.

— O resultado foi 4,0 pontos superior ao de novembro de 2018 (52,5 pontos) e o maior para o mês desde o início da série mensal do índice, em 2010. O componente de expectativas atingiu 65,7 pontos em novembro, crescimento de 2,6 pontos em relação a outubro (63,1 pontos) — finalizou a nota.

Comentários
×