Retirados 11 nomes do relatório da CPI do BNDES

Da Redação 

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que apura irregularidades no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) durante Governos Dilma e Lula – ambos do PT – aprovou o parecer do relator, deputado Altineu Côrtes (PL-RJ) por 19 votos favoráveis. Com dificuldades para aprovação do relatório, Côrtes retirou os nomes de Lula e Dilma, e de outras nove pessoas, da lista de indiciamento. O deputado divinopolitano Fabiano Tolentino (CDN) foi um dos que votaram contra o relatório, que teve 11 nomes excluídos, inclusive os dos ex-presidentes do período investigado.

A decisão foi tomada no último dia do prazo autorizado para o funcionamento da CPI. No total, o relatório da CPI do BNDES sugere o indiciamento de 52 pessoas. O documento será enviado ao Ministério Público, que decide se indicia ou não.

Apesar da retirada de Lula e Dilma, o relatório manteve a sugestão de indiciamento de outros nomes ligados ao PT, entre eles os dos ex-ministros Guido Mantega, Celso Amorim, Fernando Pimentel, Pepe Vargas e Miriam Belchior.

Fabiano Tolentino votou contra o relatório e destacou o descontentamento com a retirada dos nomes.

— Me entristece muito ver que ainda temos alguns parlamentares que fazem de tudo para proteger alguns nomes da investigação. O relatório foi aprovado, mas na verdade queríamos uma aprovação com todos os nomes, mas infelizmente com a retirada de alguns nomes como o do Lula e da Dilma, nós, do Cidadania, votamos contra o relatório —, afirmou.

CPI

A CPI, que foi instalada em março, tem como finalidade de investigar a prática de atos ilícitos e irregulares no âmbito do BNDES ocorridos entre 2003 e 2015 e relacionados à internacionalização de empresas brasileiras. O texto destaca os negócios com os grupos Odebrecht e J&F devido aos montantes envolvidos.

 

 

Comentários
×