Restaurado, ‘Vagão Literário’ vira ‘Vagão Futuro’

 

Ricardo Welbert

 Chegou ao fim o imbróglio envolvendo um vagão doado pela empresa Valor da Logística Integrada (VLI) à Prefeitura de Divinópolis para torná-lo uma biblioteca ao ar livre na praça Candidés, no Centro. Após o governo anunciar que não tinha condições de manter a estrutura, houve a possibilidade de doá-la a Carmo do Cajuru.

Porém, uma parceria firmada entre os projetos sociais “Quero Viver” e “Global Jovem” com o Grupo de Educação Ética e Cidadania (Geec) garantiu a permanência do serviço, que será reinaugurado no próximo dia 10 sob o nome “Vagão Futuro”.

De acordo com o coordenador do “Global Jovem” e gestor do vagão, Flávio Marciel, a parceria ocorre no formato de comodato — empréstimo gratuito de coisa que deve ser restituída no tempo combinado entre as partes. Nenhuma delas determinou um prazo, mas a expectativa é de que a iniciativa dure ao menos dez anos.

Para a inauguração, prevista para ocorrer a partir das 9h30 de 10 de agosto, foram convidadas autoridades das polícias Militar e Civil, da Justiça e do Ministério Público.

— O vagão continuará no local em que está, oferecendo um amplo acervo. Por meio de parcerias com escolas, teremos momentos de reforço de aprendizado — explica Marciel.

Um dos destaques do lançamento do “Vagão Futuro” será a presença de carretas do Serviço Social do Comércio (Sesc), que oferecerão vários serviços gratuitos.

O gestor ressalta que todo o dinheiro usado na reforma e manutenção do vagão vem das próprias entidades.

— O recurso público é zero. Nada do Executivo. Para conseguir manter a iniciativa, temos feito parcerias com empresas. Também pretendemos, após o período eleitoral, tentarmos tornar o “Vagão Futuro” apto a receber recursos do Fundo para Infância e Adolescência — explica.

Após a reinauguração, o vagão funcionará de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 11h, quando fecha para almoço da equipe e reabre às 1h30 até 17h. Para os fins de semana, serão agendadas atividades especiais em parcerias com escolas.

 

 

 

Comentários
×