Renatinha, prima minha, Ré...

Amnysinho Rachid

       Quem comemorou nova data nesta semana foi minha querida prima Renata, felicidades sempre...  Aí, como tudo na minha vida, parei para lembrar. Naquele dia, como de costume, fui à casa do Gilberto para ver o que iríamos fazer e, ao chegar, já fui logo sabendo: “minha mãe está grávida, vem gente nova por aí”.

      E assim curtimos a gravidez da tia. Participamos de tudo, do enxoval, da mudança na casa, apesar de que o quinto filho já entrava no esquema fácil.

      E eis que o tão aguardado dia chegou, nasce uma menininha linda, pequenininha, mas bem brava, já veio mostrando o que seria.

      Foi para nós uma grande sensação. Gilberto tomou a frente como se aquela coisinha fosse sua, e, como fiel escudeiro, participei de muita coisa. Inclusive, um dia, enquanto a tia preparava o seu banho, eu de ajudante fui segurá-la e ela começou a fazer um xixi. Mais que depressa, estiquei os braços, colocando-a bem longe. Levei uma bronca da tia Alice na hora: “Segura direito, é só um xixi o que é que tem?!”.

      Dali para frente foi só alegria. Como gostávamos de levá-la ao Estrela, de toalha de gatinha e tudo mais, sempre com lindos vestidinhos e grandes laços na cabeça, marca registrada.

      Quando entramos na adolescência, fez parte atuante em nossas festas, em todas, tinha que ter um teatrinho da Ré. Como não lembrar da dança da Emília? Decoramos a música e a coreografia todinha... Lavagem cerebral, loucura. 

       Como não lembrar das suas dores de garganta e das febres loucas? A menina é magrinha demais, diziam todos. O que não faltou foi mandingas, ovos de patas com leite condensado, Biotônico Fontoura, emulsão de Scott e tudo mais que ensinavam, mas ela superou.

        E aí veio a pré-adolescência, como me lembro das nossas viagens para praia, como curtimos Cabo Frio! Lembro-me de um supersanduíche “podrão” degustado por nós três, eu, tio Adib e a Ré, no fim da tarde que nós fez virar do avesso.

       Aí a vida passou e, com ela, muita coisa vivida, muita alegria, muitos momentos sofridos e muitos sonhos realizados, etapas vencidas.

      Aquela menina pequenininha virou uma grande mulher, profissional de primeira, mostrou a que veio, guerreira, soube como se reinventar e ser feliz.

     E, como em toda caminhada precisamos de um parceiro, eis que aparece Manoel, sua cara metade, que faz as coisas acontecerem. A primeira vez que o vi, já fui logo dizendo: trate bem minha menina ou vai se ver comigo, simples assim.  

      Tenho um orgulho enorme de tê-la em minha história e uma gratidão pelo que sempre fez por mim e pelos meus. Meu Nasser a tem como sua verdadeira tia, e sempre o digo que, em caso de necessidade, ela é o seu porto seguro.

       Minha querida e linda afilhada, que Deus te proteja sempre, que você continue assim pura e honesta nos seus atos, uma filha especial e uma amiga diferenciada e uma prima deliciosamente presente em nossas vidas.

      E continuamos aqui na Tok Empreendimentos, vendendo sonhos... Rua Cristal, 120 , Centro.

          

               

Comentários
×