Remédios ficam mais caros a partir de abril

 

Jorge Guimarães

O mês de abril vem com más notícias para o consumidor. No dia 1º, os remédios estarão entre 2,09% e 2,84% mais caros, de acordo com a Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (Cmed). Tal prática é referente ao aumento anual dos preços na tabela dos produtos vendidos no Brasil e com autorização do Governo Federal.

No caso de Divinópolis, onde se tem, na área central, uma farmácia em cada esquina, o recomendável é o consumidor pesquisar as melhores ofertas dos medicamentos utilizados.

– De acordo com cada estabelecimento, levando em conta sua reposição de estoques e das estratégias comerciais, o aumento pode demorar alguns dias – avaliou Hyago Saldanha, gerente de uma farmácia situada no Centro.

Concorrência 

Ninguém gosta de aumentos e muito menos de comprar mais caro e, em se tratando de concorrência livre, o consumidor tem de fazer pesquisa, pois muitas drogarias devem demorar um pouco mais para repassar o aumento.

– Como utilizo medicamento há anos, já sei que eles sobem anualmente no mês de abril. Por isso, já compro um pouco mais para deixar de estoque. Mas aqui, neste estabelecimento, como sou cliente preferencial, ainda tenho algumas vantagens que, no final, valem muito a pena – disse o aposentado José Etelvino.

Impacto 

O aumento será sentido no orçamento familiar de muitos brasileiros que utilizam medicamentos mensalmente.

– O aumento em si vai pesar mais no orçamento familiar do que no geral, em relação à inflação. Mas, mesmo assim, não deixará de influenciar no Índice de Preços ao Consumidor (IPCA) – avaliou o economista Leandro Maia.

 

 

Comentários
×