Registro de afogamentos cai pela metade em Divinópolis

 

Maria Tereza Oliveira

O índice de mortes por afogamentos diminuiu 50% na cidade. De acordo com o 10° Batalhão de Corpo de Bombeiros, no ano passado, foram registrados nove casos de afogamentos. Por outro lado, entre os meses de janeiro a agosto de 2018, foram contabilizadas três mortes por afogamento.

A média de 2017 equivale a uma morte no período de 40 dias. Já neste ano, a média de mortes por afogamentos caiu para uma a cada de 80 dias.

O 10° Batalhão abrange as cidades de Divinópolis, Formiga, Itaúna, Nova Serrana e Pará de Minas. Na região foram registradas, no ano passado, 21 mortes por afogamento. Em 2018 o número caiu para 13, até agora.

De acordo com os dados, a maior parte das vítimas tem entre 20 e 40 anos.

Trabalho de prevenção

O Corpo de Bombeiros atribuiu a queda nos índices ao trabalho de prevenção e conscientização dos riscos ao entrar em lagos, rios, piscinas ou cachoeiras, por exemplo.

Uma das causas mais comuns de mortes por afogamento é a negligência ao nadar. O excesso de confiança também é fator determinante em muitos casos de afogamento.

Pensando nisso, os bombeiros recomendam a não nadar sozinho, manter-se perto das margens, não nadar alcoolizado e, caso não esteja devidamente habilitado, não tentar salvar pessoas em afogamentos.

Nadando contra a corrente

Enquanto Divinópolis e região se destacam pela queda nas ocorrências, a média do estado aumentou. Segundo dados do Corpo de Bombeiros, o número de mortes por afogamentos, comparado com o ano passado, cresceu 25%.

Enquanto no 1° semestre de 2017 foram atendidas 404 ocorrências, esse ano foram 512.

A recomendação é: no caso de presenciar algum afogamento é importante ligar para os bombeiros  por meio do 193.

 

Comentários
×