Reforma de posto foi parceria, diz Prefeitura

Ricardo Welbert

Após o Agora informar, no sábado, que moradores do povoado de Cachoeirinha se uniram e levantaram os recursos necessários para o serviço, a Prefeitura de Divinópolis afirmou que o fato de o médico ir à comunidade a cadaCachoeirinha se uniram para reformar o posto de saúde loca 15 dias faz daquela unidade de saúde um “ponto de apoio”. Quem precisa do serviço nesse intervalo de tempo precisa ir a Quilombo, povoado próximo. 

— Para os atendimentos quinzenais, a equipe itinerante leva todos os materiais necessários para a realização de consultas e procedimentos. A reforma do ponto de apoio ocorreu em parceria entre o Município e a comunidade — afirma o governo.

A reportagem fez novo contato com o presidente da associação de moradores de Cachoeirinha, Romeu de Sousa. Ele confirma duas das afirmações da Prefeitura, mas questiona a outra.

— O médico vinha de 15 em 15 dias mesmo. Mas quando o posto de Cachoeirinha foi interditado, em março, ele veio só uma vez e atendeu no salão comunitário. Nesse tempo, só tivemos os atendimentos regulares em Quilombo ou Ermida [Santo Antônio dos Campos] — disse.

Sobre a afirmação do governo de que houve parceria com a comunidade na reforma do posto, ele nega.

— Não teve parceria nenhuma. Cada centavo do que foi usado na reforma do posto saiu do nosso bolso, de doações feitas por gente da comunidade. Isso eu posso provar. Tenho todos os recibos e notas de tudo o que foi gasto na obra — afirma.

Saiba mais

Moradores de povoado se unem e reformam posto de saúde em Divinópolis

Comentários
×