Redução da Selic pode aquecer vendas

 

Jorge Guimarães

Economistas e empresários tiveram confirmada mais uma boa notícia, esta semana, em época de instabilidade da economia. O Banco Central baixou mais uma vez a Taxa Selic, que foi para os 7,5 ao ano. E em véspera de festa de final de ano, a queda veio animou o meio empresarial, quanto às vendas de final de ano. Isso porque a redução da taxa estimula a economia porque juros menores barateiam o crédito e incentivam a produção e o consumo em um cenário de baixa atividade econômica. Mas por outro lado, ao reduzir os juros básicos, o Copom barateia o crédito e incentiva a produção e o consumo, mas enfraquece o controle da inflação.

Positivo

Com a queda dos juros, os consumidores e empresários saíram ganhando, o que traz uma enorme carga positiva para os próximos meses.

Para o economista Leandro Maia, a queda da taxa Selic é para acompanhar a redução da inflação.

— E é sempre bem visto como um todo na economia, pois aumenta o consumo e da confiança ao empresariado de realizar investimentos. Assim, as duas partes, consumidor e empresários saem ganhando com a queda dos juros — avalia o economista

Baixa

Pela nona vez seguida, o Banco Central (BC) baixou os juros básicos da economia. Por unanimidade, o Comitê de Política Monetária (Copom) reduziu nesta quarta – feira, a taxa Selic em 0,75 ponto percentual, de 8,25% ao ano para 7,5% ao ano. A decisão era esperada pelos analistas financeiros. Com a redução, a Selic iguala-se ao nível de maio de 2013, quando também estava em 7,5% ao ano. De outubro de 2012 a abril de 2013, a taxa foi mantida em 7,25% ao ano, no menor nível da história, e passou a ser reajustada gradualmente até alcançar 14,25% ao ano em julho de 2015. Somente em outubro do ano passado, o Copom voltou a reduzir os juros básicos da economia.

 

 

Comentários
×