Recomeçar de novo

Batendo Bola 

José Carlos de Oliveira 

jcqueroviver@hotmail.com.br

 

Com menos grana em caixa para 2019 e precisando repensar seu modo de trabalhar o futebol, a diretoria do América já começa a planejar o que fazer para o ano que vem. Entre as prioridades da temporada, tentar o retorno à elite do futebol nacional é com certeza a principal delas.

Givanildo fica 

A primeira medida tomada pelos diretores veio na noite da última terça-feira e até já era esperada por todos. Contratado para tentar o impossível – manter o time na Série A – o técnico Givanildo Oliveira teve seu contrato renovado com o Coelho.

Até aí tudo bem, afinal o ‘Rei do Acesso’ tem ligação estreita com o clube e conhece como ninguém os atalhos para se dar bem na Série B.

 Muito pouco 

Mas que não se enganem os americanos, manter apenas o treinador no comando não será o bastante. Para 2019, a tendência é de que a Série B seja das mais concorridas e se o Coelho não fizer mais e melhor que nesta temporada, ficará pelo caminho.

Apenas com o que mostrou este ano já será muito pouco, mas como a tendência é para pior, mais difícil será ainda ao América retornar à Série A já em 2020.

Estou enganado? Espero, sinceramente, que não. Mas que não se iludam os americanos, muita luta aguarda por jogadores, comissão técnica e diretoria, se quiserem mesmo se dar bem na próxima temporada.

E um Givanildo só não basta.

 MANGUEIRAS BRASIL

 Está se achando 

Que Renato Gaúcho é um bom treinador ninguém questiona, mas daí a ele se achar o ‘dono da cocada preta’ vai uma grande distância. O técnico Renato ainda está longe de ser tudo aquilo que ele acha que é. Para ser o número um, ele ainda terá que ralar muito e ponto final.

 Exemplos 

E não me venham com desculpas esfarrapadas, exemplos não faltam para comprovar esta verdade. A constatação de que ele não é tudo aquilo que pensa ser, vem de seus próprios trabalhos à frente do Grêmio. Depois de esnobar o Campeonato Brasileiro e dar ao tricolor gaúcho o título da Copa Libertadores em 2017, achou que tinha encontrado o caminho, tentou repetir a fórmula este ano e deu no que deu.

O Grêmio não ganhou nada e sua torcida teve que se contentar com uma vaga direta para a fase de grupos do torneio continental no ano que vem. Muito pouco para um time que até bem pouco tempo era tido como aquele que praticava o melhor futebol do Brasil. Tudo conversa.

 E mais 

E para deixar claro que ele pensa ser o que não é, Renato me vem agora esnobar o curso de treinadores da CBF. Matriculado pelo Grêmio para participar do curso - módulo da Licença Pro da CBF Academy – Renato matou aula para ir à praia.

Enquanto treinadores como Mano Menezes e Tite (só para citar apenas estes dois) sentam nos bancos da sala de aula para aprender mais um pouco de futebol, Gaúcho acha que já sabe tudo já. 

Não é hora de amadorismo 

Nada está definido, mas pelo andar da carruagem e as últimas notícias vindas da Cidade do Galo, a permanência de Marques no comando da diretoria de futebol do Atlético já é dada como certa para a próxima temporada. É correr um risco grande demais para quem sonha chegar alto em 2019.

 Nada contra 

Nada contra o Marques, que tem currículo e pode até contribuir e muito para com o Galo, mas daí a efetivá-lo como diretor de futebol, num ano em que o time terá Copa Libertadores, Copa do Brasil e Brasileiro, além no estadual para disputar, vai uma grande distância. É uma aposta alta demais para se fazer.

Por mais que ele seja capaz, está longe de ser tudo aquilo que o Atlético precisa hoje. A hora não é para se fazer apostas, o tempo do amadorismo no futebol ficou para trás, e hoje o profissionalismo tem que vir em primeiro plano. Esta é a única verdade...

Comentários
×