Reajustes

Preto no Branco

Reajustes 

Falhou, mudou. Após escolas municipais e estaduais interromperem as aulas presenciais diante dos casos de covid-19, a Prefeitura de Divinópolis deve divulgar um novo protocolo. Reajustes pontuais serão feitos para reforçar as atuais medidas de prevenção à disseminação do vírus. A cobrança foi feita inclusive na última sexta-feira, na reunião semanal entre os membros do Comitê Municipal de Enfrentamento ao Coronavírus. Na oportunidade, os especialistas destacaram a necessidade de adotar medidas “mais rigorosas” e de fiscalizar, para garantir o cumprimento na íntegra das determinações previstas em decretos.

Dificuldade de controle

Um dos principais pontos de vulnerabilidade não é, necessariamente, o protocolo. É possível controlar as medidas de segurança dentro do ambiente escolar, mas, fora dele, não há como as autoridades educacionais garantirem que alunos, pais e responsáveis respeitem as normas de prevenção ao vírus. Ou seja, mesmo com a criança em um ambiente escolar sanitariamente seguro, crianças e adolescentes seguem expostos à contaminação no caminho de casa para sua instituição de ensino, na rua etc. É uma situação mais complexa do que parece, visto não depender exclusivamente de um rígido protocolo. Tão logo a vacinação avance, a Prefeitura garantiu já estar preparada para vacinar adolescentes entre 12 a 18 anos. As demais idades carecem de autorização das autoridades de saúde.

Mudanças

Conforme adiantou a vereador Lohanna França (CDN), em seu discurso na Câmara, uma das alterações deve ser a criação de regras para isolar os casos suspeitos sem precisar fechar totalmente a escola. Em seguida, o presidente da Comissão de Saúde, Zé Braz (PV), explicou que outro ponto será a testagem obrigatória dos alunos que apresentarem os sintomas da doença. Um dos objetivos é evitar que, por uma única suspeita, as aulas presenciais sejam, em todas as turmas, interrompidas.  Pelas redes sociais, Roger Viegas (Republicanos) celebrou as novas regras de funcionamento que entrarão em vigor: "Nossa maior preocupação é que as crianças não saiam ainda mais prejudicadas com tantos fechamentos e paralisações".

Paraolimpíadas

O esporte em Tóquio está de volta. A abertura das Paraolimpíadas ocorreu ontem. A programação segue com as mais diversas modalidades até 5 de setembro. Na última edição do evento, em 2016, no Rio de Janeiro, o Brasil terminou na oitava colocação, com 72 medalhas ‒ 14 de ouro, 29 de prata e 29 de bronze ‒, atrás apenas de Holanda, Alemanha, Austrália, Estados Unidos, Ucrânia, Grã-Bretanha e China. Apesar da dificuldade do horário de algumas das disputas de medalhas, vale a pena escolher uma modalidade e fortalecer o apoio aos atletas.

Semana Municipal

O início da competição coincide com algumas das atividades promovidas pela Prefeitura e instituições filantrópicas em alusão à Semana da Pessoa com Deficiência. Além de conscientização sobre direitos e deveres, a data marca a necessidade de ampliar os debates e as políticas públicas de inclusão. Assim, fica a dica para os vereadores e demais autoridades políticas: a necessidade não se restringe a atos de mobilidade. Pessoas com deficiência merecem não apenas rampas de acessibilidade ou atendimentos adequados, mas também oportunidades de participar em eventos culturais, esportivos e demais. Em nível pessoal, o mínimo que podemos fazer é respeitar as ações cotidianas, como não estacionar em vagas especiais. 




Comentários
×