Reação

 

Cansado de esperar a resposta prometida no ano passado, o presidente do Diretório Acadêmico da Uemg Divinópolis, Samuel Santiago, gravou um vídeo e espalhou nas redes sociais. Ele suplica ao Estado a recondução dos professores e concurso público imediato.

 Ameaça

 Em poucas palavras, aponta a possibilidade de a universidade não ter aulas em 2018 por falta de professores. Disse que o alunado acreditou que haveria o concurso público para o provimento de vagas nas unidades estadualizadas, mas que, infelizmente, isso não se concretizou.

 Rompimento 

Segundo ele, em Divinópolis haverá um rompimento gigantesco porque os professores passarão pelo processo seletivo simplificado “negando a história de uma instituição que existia há anos e negando, pior ainda, um decreto de estadualização que garantia que todos os professores estariam com empregos garantidos até que houvesse concurso público” – sintetiza.

 Canetada 

Afirma que a reitoria não consegue refletir sobre o perigo dos Planos de Cargos e Salários (PSS), convoca mobilização e chama a união de forças. Cobra ainda mais diálogo do Governo do Estado. “Estamos dispostos a romper tudo isso no momento em que o país vive uma crise gigantesca. Não estamos de brincadeira e queremos uma transformação de fato e não na canetada, como tem sido feito”, encerra.

Vice....

 Tem causado comentários o protagonismo do vice-prefeito Rinaldo Valério nas ações relacionadas à Prefeitura. Especula-se sobre suas intenções eleitorais para o ano que vem e até mesmo sobre os motivos de não ser o prefeito Galileu Machado (PMDB) a tomar frente do embate político.

... à frente

 Ontem, por exemplo, a administração colocou Rinaldo como personagem central de um release enviado à imprensa: “Vice-prefeito volta a cobrar recursos da UPA e retomada das obras do hospital”. Está certo, de fato, ele participou da dita reunião. Pode não ser nada demais. Mas vai que é alguma coisa...

 Estranheza 

Também gera comentários o fato de os vereadores extrapolarem no tom de voz com os próprios colegas, quando a Casa é destinada ao debate e não ao grito. Ontem, por exemplo, houve quem chamasse o colega “para o pau”, ou seja, para o ringue, numa atitude no mínino imatura, pois a linguagem é inadequada.

Queijo 

O resultado do 3º Prêmio Queijo Brasil, realizado recentemente, no Memorial da América Latina, em São Paulo, mais uma vez provou a excelência do queijo produzido em Minas Gerais e o quanto é valorizado fora do estado. Dos 317 queijos premiados pelo concurso em todo o país, quase 50%, ou 156 deles, foram fabricados em Minas Gerais. Desses, vale destacar a premiação do típico Queijo Minas Artesanal, produzido com leite cru, em Araxá, Canastra, Campo das Vertentes, Cerrado, Serra do Salitre, Serro e Triângulo Mineiro.

 

 

 

Comentários
×