Questão de prioridade

Esta cidade vem crescendo de forma absolutamente normal e prevista, conforme os dados do IBGE. Como cidade polo, é até possível que em número de habitantes receba mais gente do que as demais. Nova Serrana passou por um surto de crescimento no setor calçadista, e quase dobrou a sua população.

Dobrar de quarenta ou cinquenta para oitenta ou cem mil, não é uma tarefa arrebatadora, mas deve ser considerada cheia de méritos. Primeiro aos responsáveis diretos pela administração político/administrativa da cidade e, no mesmo plano, a visão estratégica dos empresários, que viram, faz tempo é verdade, que o nicho calçadista era bom.

Investiu-se principalmente no tênis de ótima, boa e regular qualidade, com preços convidativos e altamente competitivos. Atraiu a atenção de grande parte do país, com anúncios de empregos. Veio gente de várias partes do país e, com esse pessoal, o atrativo da criminalidade, principalmente o ligado às drogas. Nova Serrana tinha um contingente policial, logo passado a companhia e hoje é sede de batalhão.

Os crimes e os criminosos aumentaram em proporções desiguais. À medida que uma quadrilha ia se instalando, com ameaças e mortes consolidaram o terreno. A cidade cresceu para todos os lados e ficou impossível para as polícias tomar conta da cidade, embora não se possa desmerecer o esforço que vem sendo feito. Foi bom para Nova Serrana? Impossível responder. Cresceu o número de empregos, de empresas, o dinheiro por lá ainda corre solto, a Prefeitura não atrasa pagamentos e a vida segue segura e tranquila.

Lá como cá, não é bom para nenhum cidadão “dar sopa” depois das sete da noite em nenhum lugar. No Centro e nos bairros, os pequenos furtos são uma constante. Em Divinópolis, perto da Laginha, um grupo de evangélicos que foram fazer orações no morro das antenas, acabou sendo assaltado. Pelo menos um tiro foi dado em direção a um dos carros, mas não atingiu ninguém. A polícia foi atrás, mas como pegar malandro no meio de um matagal que ele tão bem conhece?

Quase chegando aos seus 250 mil habitantes, Divinópolis é uma cidade pobre e sem futuro definido, pois nada está planejado. Cortada por boas estradas, quem passa por elas não costuma parar, pois o estado é grande e as cidades distantes. De muito pouco, acredita-se, adiantaria ao comércio e à indústria a duplicação da MG-050, tão reclamada, tão prometida e tão deixada de lado.

Que não se inveje o crescimento de Nova Serrana e, sim, o seu enquadramento aos novos tempos, sua adequação à nova realidade comercial e industrial. E isto passa pela mudança no quadro político. Como as eleições estão a seis meses para acontecer, seria interessante que algumas caras mudassem de ambiente. O momento é propício para isto. Isto, sim, é uma prioridade incontestável.

 

Comentários
×