Quem se habilita?

 

Tudo caminha para um fim de estadual com alegria e festa para os torcedores divinopolitanos. O Guarani está bem perto de retornar ao lugar que é seu por direito, à elite do futebol mineiro.  

O grupo de trabalho que está à frente do Bugre nesta temporada está tirando leite de pedra e o alvirrubro caminha a passos largos para atingir seu principal objetivo: que é retornar à divisão principal dos torneios promovidos pela federação estadual, já em 2019.  

Com suor e muitas lágrimas, o Guarani vai reescrevendo sua história. Se o instante hoje é de festa, também é de reflexão para todos aqueles que dizem amar e torcer pelo clube. A hora é de tirar o pijama e ir ao Farião. Ah, e de tirar também o talão de cheques do bolso para ajudar a pagar a conta. 

Quem vive o dia a dia do Farião e do novo Guarani, que vai renascendo das cinzas, sabe bem as decepções sofridas pela atual diretoria, comandada por Vinicius e pelo Gilson Morais. Cobrar um time vitorioso, um Bugre forte e vencedor, todos cobram, mas na hora de ajudar, a maioria tira o corpo fora. Neste ano, a equipe perdeu até o patrocinador principal. 

Que os atuais dirigentes se virem para pagar a conta, afinal de contas foram eles que assumiram a responsabilidade, é como pensa e age a maioria. 

Pois bem, eles estão fazendo o trabalho a que se propuseram. E com um algo a mais. Estão tapando todos os buracos deixados por administrações anteriores, colocando a casa em ordem, as contas em dia e preparando um novo Guarani para o futuro.  

Faltando poucas rodadas para o término da fase de classificação, a primeira meta foi alcançada. O Bugre está nas semifinais do Módulo II e a 180 minutos de carimbar seu passaporte para a divisão principal do Mineiro.  

Mas todo cuidado ainda é pouco. O Guarani é, sim, hoje o time a ser batido, mas terá de provar isto é em campo. E do outro lado estarão adversários que lutam pelos mesmos objetivos, e com um algo mais, que o Bugre não tem: contam com a ajuda de empresários e políticos de suas cidades, pessoas que realmente sabem a importância de se ter um time na elite do futebol estadual e nacional. 

Pois bem, ainda há tempo para ajudar e contas a serem pagas. Classificado para as fases finais, o Guarani pode ficar ainda mais forte se a diretoria tiver o apoio da cidade. Contar com torcedores lotando o Farião e políticos e empresários realmente dispostos a ajudar.  

Se todos têm força para cobrar e exigir resultados, que o façam dando também sua contribuição. Que toda Divinópolis acorde para a realidade e assuma o Guarani como ele realmente é: um patrimônio do povo e não de meia dúzia de abnegados colaboradores. 

Vem chegando a hora decisiva, das lágrimas, e saber se serão de alegria ou de tristeza vai depender de todos. A diretoria faz sua parte, mas o Guarani precisa de bem mais e ainda clama por socorro. A hora vem chegando e, com um empurrãozinho a mais, o Bugre chega lá.  

Hoje, mais do que nunca, o clube precisa contar com o apoio dos verdadeiros divinopolitanos, precisa do apoio de seu torcedor raiz. O que está esperando? É com você agora. É hoje ou nunca. 

Comentários
×