Quem se deu melhor no sorteio?

Em sorteios realizados na noite de segunda-feira, 13, em Luque, no Paraguai, a Confederação Sul-americana de Futebol (Conmebol) definiu os confrontos das próximas fases das Copas Libertadores e Sul-americana, com os adversários dos dois times mineiros sendo um chileno (para o Atlético) e um argentino (para o Cruzeiro).

De cara começaram as discussões, em debates na TV e entre os torcedores nas mesas de ‘buteco’, para apontar quem se deu melhor. Se este ou aquele clube?

Não há dúvidas de que enfrentar um River Plate, no caso do time azul, é uma parada mais torta que jogar contra o desconhecido Unión La Calera, mas há muito mais a ser analisado nestas horas que um simples adversário. Há detalhes que fogem ao primeiro olhar.

O caminho do Cruzeiro na Libertadores

Para começo de papo, o Cruzeiro pegou, sim, o adversário mais difícil entre todos que poderia enfrentar na próxima fase da Copa Libertadores, mas quem sonha em ser campeão não pode e nem deve escolher contra qual time quer jogar. Tem que encarar o que tiver pela frente e fazer de tudo para se dar bem. Este é o ponto.

O outro lado

Mas há também o outro lado da notícia, e todos devem ficar atentos aos detalhes. No caso específico do duelo da Raposa na próxima fase da Liberta, muito há a ser analisado nesta hora.

Tudo bem que o ‘Milionários’ seja o adversário mais difícil hoje, mas daí para frente os mineiros podem até ter sua caminhada facilitada rumo a Santiago, onde será disputada a grande final. Que ninguém duvide disto.

E este pequeno, mas importantíssimo detalhe terá, sim, muito peso na Libertadores deste ano. Podem apostar!

O caminho

Pelo chaveamento da competição, o Cruzeiro só enfrentará um os favoritos (do Brasil) numa possível final. Palmeiras, Flamengo, Grêmio e Internacional ficaram do outro lado da tabela, e apenas um deles poderá chegar à decisão. Isto por si só já pode ser festejado pela China Azul.

A Raposa enfrenta o River Plate nas oitavas de final e, passando, joga com o vencedor de San Lorenzo e Cerro Porteño. Seguindo na disputa, o time azul terá pela frente quem se classificar de LDU, Olímpia, Athletico-PR e Boca Juniors, numa das semifinais.

Esta é a caminhada que espera a Raposa até uma provável final e pedir mais que isto já seria querer demais. Ficou de muito bom tamanho.

Atlético deve ‘prestigiar’ Sul-americana?

No caso do Atlético a discussão principal hoje nem é sobre o adversário da próxima fase na Copa Sul-americana. O que move corações e mentes da torcida é saber até onde o Galo pretende chegar este ano, se dará ou não o devido valor ao torneio continental.

Se esta for a opção, aí, sim, já pode pensar no Unión La Calera, adversário do fim do mês. Até então desconhecido dos brasileiros, mas que hoje ocupa boa posição no campeonato nacional de seu país (no qual é o terceiro na tabela), o time chileno chega como surpresa, mas como dizem que ‘porco magro é que suja a água’, todo cuidado é pouco.

Calendário

O que pode ser um complicador para o Galo neste momento é o calendário que terá pela frente até a parada para a Copa América. Serão dois jogos por semana, sem tempo para descanso, e com duelos decisivos pelas Copas do Brasil e Sul-americana.

E esta, sim, pode ser a maior pedra no caminho alvinegro: o calendário.

 

 

Enfim, Leal está na seleção – A torcida celeste e os amantes do voleibol ganharam um motivo para festejar esta semana. O cubano Leal, que fez história com o manto estrelado, ganhando nada menos que 25 títulos com o Sada Cruzeiro, vestirá pela primeira vez a camisa da seleção brasileira de vôlei. Depois de uma espera de quatro anos, o jogador enfim foi convocado pelo técnico Renan Dal Zotto e vai defender o Brasil na Liga das Nações deste ano, a partir do dia 31 de maio.

Comentários
×