Quem fala muito...

...bem, o resto você sabe, o cavalo não tem nada com isso e nem responde a nenhum bom dia. Foi mais ou menos isto que aconteceu com a desembargadora Marília Castro Neves, quando se investiu no limite da crítica a uma pessoa que havia sido assassinada. Possuidora ou não dos defeitos que Marília atribuiu à ex-vereadora Marielle Franco, esta não tinha como se defender. Faltou à autoridade o juízo que o seu Juízo deveria lhe dar, para saber que a palavra somente tem ida, não há retorno e nem como desconversar. Falou, tá dito e ponto-final.

A revolta...

...que provocou pelo país afora fará da desembargadora um exemplo dos malfeitos, não somente da Justiça, mas de quem se arvora em ser dono da verdade. Ela será punida, provavelmente de forma exemplar, como todos os desembargadores pegos no erro costumam ser: receberá “ordem de aposentadoria integral” e ficará em casa, ou na Europa, curtindo as delícias de receber 30, 40 ou sabe-se lá quantos mil reais por mês.

Mas existe o lado positivo

Aqui mesmo em Divinópolis, existe gente cheia de processos, alguns já tramitados em julgado e, portanto, em fase de execução, que pagará, com certeza, pelo abuso que cometeu ou deixou cometer em seu site, onde fake news eram desovados a toda hora, destruindo ou maculando a reputação de pessoas sérias e que trabalham honestamente de forma profissional.

Republicar um texto não explica nada, apenas confirma o crime praticado por quem publicou primeiro.

Também por esta razão

Continua em alta o impresso. Alguns, como este diário, adaptando-se à nova realidade dos dias atuais, onde a tecnologia das mídias sofreu um avanço gigantesco. Saímos do medo dela, para agregarmos ao bem que ela nos trouxe. E assim, passo a passo, vamos seguindo um caminho começado por um grupo de pessoas abnegadas e que amavam escrever. Em 1º de junho de 1971, este diário foi para as ruas pela primeira vez, junto ao desfile que se realizava na avenida Primeiro de Junho, em comemoração ao aniversário da cidade. Sucesso absoluto desde o primeiro número e com assinantes que nos acompanham até hoje, nestes quase 47 anos de existência e mais de 12.000 exemplares devidamente impressos e colecionados. E com energias renovadas, acreditando que o futuro está longe, enquanto a responsabilidade só faz aumentar.

Civilização

Estudiosos afirmam que o país está atrasado no tempo e no espaço, algo em torno de 260 anos, o que nos coloca praticamente na idade da pedra, provavelmente entre os estágios neolíticos e paleolíticos. Nem tanto, talvez, mas o certo é que, não faz tempo, falava-se que o nosso atraso, em todos os sentidos, giraria em torno de 50 anos. Nem um, nem outro. Estamos mesmo muito longe de uma civilização decente, onde o respeito ao homem, à raça, à crença e aos costumes parece não existir. Bom exemplo disso foi...

...a prisão do presidente...

...francês Nicolas Sarkozy se deu numa calmaria que assustou o mundo inteiro. Ninguém gritou, ninguém berrou, não aconteceram manifestações, discursos no Congresso, nenhuma bandeira vermelha apareceu e a população ficou em casa vendo através da TV, um ex-presidente de uma das maiores nações do mundo ser preso para depor sobre um suposto acordo para receber um auxílio de 25 milhões de euros para a sua campanha de presidente. Que venceu, diga-se. O dinheiro teria vindo da Líbia, na época (2007) ainda dominada por Muammar Khadafi, que logo depois foi defenestrado do poder com a ajuda de Sarkozy.

Lá não é...

...como cá, onde um ex-presidente foi apenas conduzido para depor e provocou entre seus “puxa-saquistas” o maior quiproquó. Também não deu em nada e, se o STF não fizer bobagem até terça ou quarta-feira, o juiz Sérgio Moro estará esperando por ele, Lula da Silva, com a chave do xadrez nas mãos. Se isto não acontecer, é possível que os 260 lá de cima, passem para uns 500, ou até antes do país ser descoberto. Eu disse descoberto?! Pois é!!!

Comentários
×