Quebrou?!

Os últimos dois anos de governo do então prefeito Vladimir Azevedo, com certeza não serão esquecidos tão cedo por ele, sua equipe e por muita gente ocupada apenas em fazer discursos íngremes e comentários disformes nas redes sociais.

Sem apoio até de alguns membros já descrentes com o seu governo, Vladimir carregou a sua cruz até o dia 31 de dezembro de 2016, quando entregou uma pesada cruz a Galileu, que nunca tinha ido à prefeitura para fazer qualquer levantamento. Para ele e sua pequena equipe, o que viesse estava bom porque o “velho capitão” sabia o caminho das pedras.

Não sabia. Pouco tempo depois de assumir começou a falar em dívidas, afirmando que pagaria mais de R$ 50 milhões de dívidas deixadas pelo antecessor, que contesta isso com todas as letras, quer provas o que até hoje não foi atendido. Com ou sem grandes dívidas, Galileu chegou ao fim do ano engasgado e com grande dificuldade de pagar o 13º salário, o mesmo caso ocorrido com Azevedo.

Mas não deixou por menos. Mandou para a Câmara um esdrúxulo projeto de aumento de IPTU, através do qual estaria reparando todos os aumentos que não aconteceram desde que deixou a prefeitura em 2004. Galileu queria, quer e precisa de dinheiro e, por isso, quase enfiou goela abaixo o tal projeto, que de cara foi rejeitado até pela sua base de apoio.

O prefeito Galileu é um homem simples de poucas palavras. Tem argumentos, mas não sabe como usá-los e ainda por cima perdeu o seu principal articulador, o homem de sete instrumentos que resolvia todos os problemas como num passo de mágica. Ao ter que mandar Fausto Barros para casa por imposição do MP, o prefeito sabia que estava perdendo o seu melhor jogador aquele que bate o corner e vai para a área cabecear e marcar o gol.

Com o estado sem fazer os repasses combinados, o prefeito não sabe se pagará janeiro até o fim de fevereiro. Como não tem ninguém para dialogar por ele, os vereadores do seu time estão marcando gols contra. A prefeitura não quebrou. Ainda!

Comentários
×