Que venha 2020

Sem sombra de dúvidas, este ano foi peculiar. De acordo com a crença de umbandistas, 2019 foi regido por Ogum, o mais poderoso, forte e temido Orixá. A previsão era de que o ano fosse marcado por guerras, avanço tecnológico, brigas, nervos à flor da pele, fim de sociedades e transformações. Ainda de acordo com os prognósticos, em 2019 só seria vitorioso quem lutasse ao lado do bem. Venceria as demandas quem estivesse com Deus ao seu lado. Muitas máscaras cairiam. Muitas verdades viriam à tona em todas as esferas: pessoais, profissionais e políticas. Os mentirosos, maldosos, fofoqueiros e espertinhos que se preparassem para as cobranças e demandas. E sim! 2019 foi um ano de guerras, de conflitos internos e externos, de transformação da sociedade brasileira, da política brasileira e da local. Em 2019, muitas máscaras caíram na política divinopolitana e, com isso, o eleitor teve a chance de fazer uma reflexão sobre os rumos que a cidade deve tomar nos próximos anos, afinal, 2020 está chegou.

Para Divinópolis, 2019 foi mais um ano de promessas. Mais uma vez a cidade não se desenvolveu e apenas “andou para os lados”. O prefeito, Galileu Machado (MDB), fechou mais um ano com os salários dos servidores parcelados e o 13º atrasado, sob a mesma justificativa: o confisco de recursos feito pelo Governo do Estado. Galileu tomou posse em 2017, com um decreto de calamidade financeira, publicado pelo ex-prefeito da cidade, Vladimir Azevedo (PSDB), e afirmou que a dívida era maior do que a informada por seu antecessor, e não podemos esquecer que 2018 foi um ano difícil para as prefeituras. Mas, de lá para cá, alguns municípios menores do que Divinópolis deram um show de gestão e fecharam as contas de 2018 e 2019 em dia, tanto com fornecedores quanto com servidores. Sem falar que algumas conseguiram até investir. Menos aqui, que apenas “andou para os lados”.

Tudo isso é uma soma desastrosa de Executivo com Legislativo. Os dois Poderes foram protagonistas de cenas lamentáveis e até mesmo desrespeitosas com a população. Não podemos esquecer os inúmeros pedidos de impeachment que o prefeito enfrentou, principalmente do último, que envolveu até um escândalo com o vice-prefeito, Rinaldo Valério, e um dos assessores do vereador Sargento Elton (Patriota). Realmente, algumas máscaras caíram neste ano. Junto a tudo isso, temos ainda as obras que não saem do lugar e viram apenas palanque político. Sabe aquela expressão “Tripudiar em cima da desgraça dos outros”? Esta é bem comum por aqui, pois, além de não representarem o povo como “manda o figurino”, os vereadores tripudiam em cima da desgraça do povo. Ou melhor, utilizam a desgraça dos divinopolitanos para fazer politicagem.

A Copasa adiou pela quinta vez a entrega da ETE Itapecerica. O Governo do Estado não para concluiu o Hospital Público Regional. A revisão da Planta de Valores do IPTU está trancada há mais de um ano na Câmara. A cidade enfrenta um caos, e nada, absolutamente nada é feito. O desejo é que Xangô, o justiceiro, o orixá que vai reger 2020, faça justiça por Divinópolis. Que ele ilumine o povo para fazer uma boa escolha nas urnas.  

 

Comentários
×