Que comecem os jogos

É hoje, 5, o início da temporada 2019 no Poder Legislativo. A Casa retoma os seus trabalhos com uma Mesa Diretora “nova”, porém já conhecida. O vereador Rodrigo Kaboja (PSD) retoma o seu posto deixado no dia 31 de dezembro de 2016, e assumido por Adair Otaviano (MDB) nos últimos dois anos. Kaboja, como grande articulador político que é, além de assumir a Presidência a Câmara no biênio 2019-2020, ao lado dos vereadores Marcos Vinícius (Pros), Renato Ferreira (PSDB) e Nego do Buriti (Patriota), deixa uma função muito bem exercida no último ano: líder do governo no Legislativo. Aliás, o presidente da Câmara articula muito bem os interesses do Executivo na Casa desde a última eleição que elegeu a mesa.

Quem não se lembra da jogada de mestre que deu a Adair Otaviano a presidência da Câmara em 2017? Kaboja montou sua chapa e, no final das contas, deu o seu voto para a chapa concorrente, encabeçada pelo emedebista, que enfim teve sua sonhada vitória. Em outubro de 2017, o vereador assumiu a liderança do governo na Casa e conseguiu consolidar a base do prefeito. Kaboja que defendeu Galileu com unhas e dentes, durante a denúncia de oferta ilícita de cargo na Prefeitura, feita por Marcelo Máximo, assumiu a presidência e ontem 4, pela manhã mostrou que sua circulação entre Executivo e Legislativo é livre. O vereador articulou a escolha de Eduardo Print Júnior (SD) para a liderança do governo na Casa.

As articulações começaram em 2016 e seguem a todo vapor. É tudo como uma engrenagem. Um encaixe perfeito. Afinal, quem não se lembra também da atuação de Print Júnior no primeiro pedido de impeachment de Galileu, protocolado pela Associação dos Advogados do Centro Oeste de Minas (AACO)? Print que já fez oposição a Galileu diversas vezes teve um papel primordial para derrubar o pedido feito pela Associação. Em sua elegância usual, conseguiu convencer os colegas que optaram pela rejeição do pedido. Neste momento, talvez não há outra pessoa para representar tão bem Galileu na Câmara. Claro, direto e objetivo, com certeza conseguirá ser a voz do prefeito na Casa.

E assim aos poucos todas as peças vão se encaixando. Tudo o que há dois anos não passava de projeções, hoje começa a fazer sentido. Assim, Galileu caminha para o final de seu mandato, tendo mais do que uma base na Câmara. Já está tudo pronto para uma nova temporada, quando Executivo e Legislativo continuarão de mãos dadas. Mas em prol do povo? Está aí a pergunta que não quer calar. Se for, nada mais do que aprovada esta união digna de aplausos. Mas, se não for, que nem comece. Novos capítulos iniciarão a ser escritos na história de Divinópolis. O jeito é torcer para que sejam felizes e também para que a cidade esteja dentro desta engrenagem perfeita entre Câmara e Prefeitura.

Que Divinópolis esteja também no topo das prioridades de seus representantes. Que comecem os jogos, e que os resultados sejam extremamente positivos para todos. Sem imitar o Guarani, que infelizmente ainda corre em busca da primeira vitória.  

Comentários
×