Quase 60 vagas de emprego disponíveis

 

Jorge Guimarães

Entra semana e sai semana e elas estão lá. São as vagas para motorista de ônibus urbano, que raramente são preenchidas em sua totalidade. O Sistema Nacional de Emprego (Sine) em Divinópolis oferecia, ontem, 57 vagas de emprego formal. Para quem está em busca de uma oportunidade há diversas especialidades.

Se a vaga exigir habilidades específicas, é necessário apresentar comprovação, como certificados ou outros documentos. Os salários variam entre R$ 998 e R$ 1,7 mil.

Vagas

Destaques para as 12 oportunidades para carpinteiro de obras e as cinco para motorista de ônibus urbano. Quatro vagas para quem quer pleitear o emprego de auxiliar de limpeza e uma exclusiva para pessoa com deficiência. Para agente de portaria, sendo obrigatória CNH "AB", veículo próprio e curso de vigilante, as oportunidades são três, o mesmo número para ajudante de pátio de sucata.

Já para açougueiro, armador de ferragens na construção civil, carpinteiro, costureiro na confecção em série, operador de telemarketing ativo e receptivo, padeiro, pintor de obras e vendedor de serviços, são duas vagas para cada profissão.

Há oportunidades também para auxiliar de pessoal, com superior completo em ciências contábeis, auxiliar de manutenção predial, auxiliar contábil, agente de viagem e várias outras.

Divinópolis

Mesmo que Divinópolis tenha começado o ano de forma negativa no emprego, com 2.036 contratações contra 2.135 desligamentos, o Sine tem oportunidades todos os dias, o que confirma os números do primeiro trimestre, que registraram 25.250 contratações contra 24.760 desligamentos. 

Os interessados nas vagas devem comparecer à rua  Goiás, 206, munidos de  documentos básicos, como RG, CPF, PIS, Carteira de Trabalho, comprovante de escolaridade e de residência.

Serviços

Em abril, o setor de serviços no Brasil mostrou variação positiva de 0,3% frente ao mês anterior, após acumular perda de 1,8% nos três primeiros meses do ano. Em relação a abril de 2018, o volume de serviços recuou 0,7%, segunda taxa negativa seguida neste tipo de comparação. O acumulado do ano cresceu 0,6%. Já nos últimos 12 meses, ao passar de 0,6%, em março, para 0,4%, em abril de 2019, prosseguiu assinalando redução no ritmo de crescimento observada desde fevereiro deste ano, de 0,7%.

 

Comentários
×