Quadro climatológico muda e chuva deve chegar, diz Inmet

Pancadas isoladas podem ocorrer amanhã; maior quantidade só no fim de semana

Rafael Camargos

 A falta de chuvas na região há mais de 100 dias tem causado diversos problemas e aberto uma discussão junto à sociedade a respeito do uso da consciente da água. Ontem, mais 17 bairros da cidade ficaram sem água. Mais uma vez a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) informou que não é por baixa nos reservatórios, e sim por conta de uma manutenção na rede. Menos água no sofrido rio Itapecerica é normal nesta época do ano, que não é mais o mesmo, há muito tempo.

Responsável por abastecer os lares de 80% da população da cidade, enfrenta o dilema da estiagem que começa preocupar, se a chuva não cair logo. A boa notícia é que ela deve chegar.

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), áreas de instabilidade atmosférica se desenvolvem em parte do sudeste do Brasil e pode causar chuva em áreas isoladas de Minas Gerais. Contudo, o ar seco continental ainda mantém o dia com sol entre nuvens no Oeste e Norte de Minas, e nas horas de maior aquecimento, a umidade do ar fica em torno de 30% em localidades do Triângulo Mineiro, Noroeste e Norte.

As temperaturas permanecem estáveis e podem superar os 30°C em várias cidades no Estado.

O que esperar

De acordo com o meteorologista do Inmet Luís Ladéia, o quadro em Divinópolis e região continuam o mesmo das semanas anteriores. O que muda é que a partir de amanhã, 28, existe a possibilidade de chuvas isoladas.

— Tem uma tendência de chuva isolada na quinta-feira, amanhã terá a mesma condição que apresentamos nas semanas anteriores. Céu entre claro a parcialmente nublado, tempo seco, temperaturas entre 14° C e 30° C — explicou o especialista.

Ladéia salientou que um fluxo de umidade deve entrar na região e propiciar uma ligeira mudança no clima.

— Para vocês do Centro-Oeste, a partir de quinta, um fluxo de umidade deve começar a atuar em Minas Gerais, e deve afetar o Centro-Oeste de Minas propiciando condições para chuvas isoladas, ela deve vir mais incisiva no fim de semana entre sábado e domingo — comentou.

Segundo o meteorologista, o quadro climatológico ainda está mudando e a chuva tão esperada deve aparecer mesmo só depois do dia 15 de outubro.

Emergência

Divinópolis pode esperar até o dia 15 de outubro, cerca de três semanas, porque de acordo com a Copasa, os mananciais responsáveis pelo abastecimento de Divinópolis estão com vazões, mas algumas cidades vizinhas já não têm esse privilégio como Carmo do Cajuru, que já decretou situação de emergência por causa da redução da vazão no reservatório.

De acordo com a diretora geral do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae), Gleice Nascimento, a situação de emergência foi decretada na cidade toda para que a população faça o uso consciente e não desperdice água. Porém, a calamidade maior está no distrito de São José dos Salgados. 

 — Estamos com alguns açudes do distrito secando, e, por isso, decretamos a situação de emergência. Restringimos, principalmente, o uso da água para lavar calçadas e outros serviços não necessários, para que os poços possam retomar a água — frisou.

Apesar da seca, o rio Pará, responsável pelo abastecimento da cidade, e de alguns bairros em Divinópolis, com o nível abaixo do esperado para a época do ano, ainda não é um problema para a população.

— Em tempos normais trabalhamos com a vazão de 11 metros cúbicos por segundo. Agora, está com 5 metros cúbicos por segundo — falou Gleice.

Estado 

Durante a semana, o céu deve ficar entre nublado a parcialmente nublado com chuvisco em áreas isoladas no Rio Doce, Mucurí e Jequitinhonha. Céu nublado a parcialmente nublado na Região Metropolitana da Capital, Campo das Vertentes e Zona da Mata. Demais regiões, céu claro a parcialmente nublado. Possibilidade de chuva isolada no Sul e Triângulo Mineiro. Névoa seca no Norte.

 

Comentários
×