PT e cia não têm por que reclamar

 

Os desembargadores e ministros que estão julgando ou acompanhando juridicamente os atos ilícitos de Lula e Dilma foram, na sua maioria, indicados pelos dois petistas. Apenas o primeiro sentenciante, de 1ª instância, o juiz federal Sérgio Moro, concursado, não tem qualquer lastro com as escolhas políticas. Explico: 

- Para se prevenir de possível iminente prisão, Lula impetrou habeas corpus no STJ, julgado por cinco ministros. Desses, três foram indicados por Dilma e um por Lula. Todos lhe negaram a ordem, o que subentende-se que ele pode ser preso, assim que forem decididos os embargos declaratórios, no TRF-4. Resultado contrário a Lula: 5X0. 

- No TRF-4, dois dos três desembargadores (concursados na magistratura) que compõem a 8ª Turma julgadora foram nomeados ao Tribunal por Dilma. Unanimemente, não só denegaram a apelação de Lula, em relação à sentença do juiz Moro, como proveram o recurso do MPF, elevando a pena para 12 anos e 1 mês. Resultado contrário a Lula: 3X0.

- No STF, a maioria dos ministros foi nomeada por Lula e Dilma.

 - Quem presidiu o processo de impeachment de Dilma foi presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, indicado por Lula. 

Ecos da Reunião Ordinária da Câmara Municipal (06/03) - I

 Vereador, usando a tribuna Câmara Municipal, disse que “Serviço Municipal de Luto em Divinópolis é ‘cabide de emprego’ de um monte de vereadores. Vai lá e dá uma olhadinha em quem é concursado”. Pergunta: quais vereadores indicaram pessoas para cargos comissionados no Serviço Municipal de Luto?

Ecos da Reunião Ordinária da Câmara Municipal (06/03) - II 

Vereador disse que, quando o atual líder do governo é contrariado pela Prefeitura, “dá chilique e ameaça deixar a liderança”. Esse atual líder do governo é o edil Kaboja (PSD). Liguei para o gabinete de Kaboja, querendo confirmar ou esclarecer se de fato ele dá “chiliques” quando contrariado pelo Governo Galileu Machado (MDB). O edil lamentou a provocação e garantiu que não iria responder o insulto, porque, como líder do governo, tem compromissos políticos e administrativos mais importantes a tratar.

E o que é chilique? Ataque nervoso ou histérico; faniquito, fricote. 

Ecos da Reunião Ordinária da Câmara Municipal (06/03) - III 

Outro vereador disse na mesma Reunião Ordinária da Câmara: “o Executivo tem que entender que o número excessivo de cargos comissionados gera a falta de dinheiro para a Saúde e para a farmacinha (remédios)”.

 Belo discurso, vereador, mas conte para nós, eleitores, quantos cargos comissionados os edis exigiram do prefeito Galileu Machado, para apoiar sua Administração, na Câmara Municipal?

 Vereador, encargo em risco de extinção? 

A proposta que pede o fim dos salários dos vereadores e também apenas uma reunião ordinária semanal e noturna está gerando polêmicas e debates até hoje. 

Esse requerimento do vereador Eduardo Print Junior (SD) desencadeou outros questionamentos. Por exemplo: por que os edis precisam gastar dinheiro público e se deslocarem até os bairros, para levantar as demandas locais, se existem os presidentes das associações de bairros, que fazem isso de graça?

Outro: qual a necessidade de vereadores para fiscalizar atos do prefeito, se as redes sociais fazem isso cotidiana e independentemente, e sem cobrar? 

Ah, mas quem vai propor leis municipais? Ora, nem todas as pessoas sabem, mas um cidadão pode propor uma lei municipal e também emendas à Lei Orgânica (art. 68, inciso III) e, ainda, apresentar projetos de lei subscritos por entidades representativas da sociedade civil e por entidades. Na iniciativa exercida pela população, exige-se que a proposta de projeto de lei seja subscrita por 5% do eleitorado do município.

Comentários
×