Próximo mês será de bandeira tarifária vermelha no patamar 1

Da Redação

Depois de dois meses com bandeira tarifária trabalhando na bandeira vermelha patamar 2, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou nesta segunda – feira, que a bandeira tarifária para o próximo mês será vermelha, patamar 1, com custo de R$ 3 a cada 100 kWh (quilowatts-hora) consumidos. A redução no valor é porque houve uma pequena evolução na situação dos reservatórios das usinas hidrelétricas em relação ao mês anterior, o que possibilitou o acionamento da bandeira vermelha no patamar 1.

O que representa uma queda de R$ 0,50, pois a Aneel trabalhou o mês de outubro e novembro com bandeira tarifária vermelha patamar 2. A tarifa é a mais cara do modelo e representa a cobrança de taxa extra de R$ 3,50 a cada 100 Quilowatt-hora (kWh) consumidos.

Bandeiras Tarifarias

Criado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada, possibilitando aos consumidores o bom uso da energia elétrica. O funcionamento das bandeiras tarifárias é simples: as cores verde, amarela ou vermelha, nos patamares 1 e 2, indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração.

As bandeiras tarifárias variam exatamente para dar esse sinal aos consumidores. A vermelha indica a necessidade de operar usinas térmicas mais caras para compensar a geração hidráulica inibida pela falta de chuvas.

Consumidores

A redução não significa para os consumidores que eles têm que relaxar. Pelo menos, esta é a opinião do vigilante Haroldo Rodrigues.

— Lá em casa, a gente já economiza desde 2015, e assim vamos levando. O problema é que o consumidor brasileiro não tem nenhuma responsabilidade quanto ao cuidado para com a natureza. Como já estamos vigilantes para economizar nas contas de energia, vamos apertar ainda mais o cinto, apesar do pequeno desconto de R$ 0,50 — fala.     

Para o comerciante José Otávio, dono de uma mercearia, o jeito é economizar de alguma forma, pois de pouco em pouco no final das contas o gasto é grande.

— Vou recorrer a uma das minhas estratégias de economizar. Desligando freezers e trabalhar somente com dois. Já é alguma coisa, pois quando o verão chegar, as coisas podem muito diferente em relação ao nível dos reservatórios. Ainda que não haja risco de desabastecimento, é preciso reforçar as ações relacionadas ao uso consciente e combate ao desperdício  —  avaliou o comerciante.    

Comentários
×