Protocolo que normatizará futuro retorno de atividades presenciais na UFSJ terá ampla discussão

Da Redação

O Comitê de Enfrentamento à Covid-19 da UFSJ irá assessorar a elaboração de todo o planejamento de retomada gradual das atividades presenciais no âmbito da Universidade. Segundo o reitor da UFSJ, Marcelo Pereira de Andrade, será um trabalho cauteloso, técnico e com ampla participação democrática.

— Ouviremos os três segmentos, além dos colaboradores terceirizados. Nosso objetivo é estarmos preparados para quando as atividades puderem ser retomadas, procurando garantir a saúde, segurança e preservação da vida de cada membro da nossa comunidade — afirmou.

Marcelo fez questão de ressaltar que esses estudos não indicam, de maneira nenhuma, que a Reitoria esteja defendendo a volta de todas as atividades presenciais nesse momento.

— Nós faremos tudo com muito cuidado. A volta será gradual, conforme já estabelecido no Conselho Universitário (Consu). O protocolo de biossegurança elaborado coletivamente será seguido em detalhes, para que não coloquemos ninguém em risco — asseverou.

Desde julho de 2020, os membros do Comitê de Enfrentamento à Covid-19 estão trabalhando com o protocolo de biossegurança para retomada das atividades presenciais. Na semana passada, inclusive, o planejamento técnico, que pode servir de orientação para  a comissão a ser criada, foi apresentado na reunião do Comitê.

Segundo a presidente do Comitê e vice-reitora, Rosy Maciel, o plano é amplo, dividido em várias fases, e leva em conta as normativas da Organização Mundial de Saúde, portarias do Ministério da Educação e diretrizes do governo do Estado de Minas Gerais.

— As recomendações sanitárias gerais e específicas estão detalhadas no documento, que foi dividido em cinco etapas: ações iniciais prévias; etapas do retorno do ensino presencial; monitoramento das atividades presenciais; orientações específicas de isolamento em caso de sintomas ou contato com pessoa suspeita de Covid-19; e protocolos sanitários para o retorno presencial — explicou.

Segundo Rosy, a intenção do Comitê é o assessoramento técnico, uma vez que o grupo é composto, entre outros membros, por vários especialistas na área de infectologia, virologia e epidemiologia.

— É um primeiro passo para o documento final ser elaborado, em uma construção coletiva, como já afiançou o nosso reitor — destacou.

Na última reunião do Conselho Superior da UFSJ, o reitor garantiu que o assunto será amplamente discutido.

— Aliás, desde que assumimos, todos os assuntos que são de interesse da comunidade universitária têm tido decisão colegiada. Muitas vezes, a discussão é exaustiva, contempla vários pontos de vista, mas, na nossa gestão, está garantida a participação de todos. É trabalhoso e muito sensível o estabelecimento de uma prática democrática. Há pessoas que confundem democracia, decisão colegiada com omissão. Mas não podemos deixar que isso contamine ou desvirtue o processo. Enquanto reitor, estarei pronto para garantir que todos os membros da UFSJ possam opinar, possam se posicionar — finalizou.

Comissão discutirá protocolo

A formalização do protocolo de retomada das atividades presenciais, como visto anteriormente, não é novo, uma vez que, desde meados do ano passado, o Comitê de Enfrentamento à Covid-19 trata do assunto. Entretanto, a questão veio à tona, na semana passada, durante a reunião do Consu que discutia a solicitação da retomada das aulas práticas profissionais.

O reitor, que é também o presidente do Conselho Superior, lembra que foi muito presente a demanda da construção de um protocolo de retorno das atividades presenciais construída por todos os segmentos da Universidade. “E será assim”, garante Marcelo. “Aliás, é o que está garantido na Resolução Consu nº 26/2020. Nesse sentido, deverá ser constituída uma comissão específica para a definição das linhas gerais do planejamento, que viabilize a volta presencial gradual e o parecer favorável do Comitê de Enfrentamento à Covid-19 da UFSJ.”

Comentários
×