Projeto cria seguro de vida para profissionais da linha de frente da covid

Valor mínimo a ser pago seria superior a R$ 30 mil em caso de invalidez ou morte

Da Redação

Líder do governo na Câmara, o vereador Edsom Sousa (CDN) protocolou um novo projeto na Casa. A proposta tem o intuito de conceder seguro de vida a profissionais da saúde que sofram as consequências de estarem na linha de frente contra a covid-19. O intuito é garantir o amparo financeiro daqueles que, neste momento de pandemia, estão mais expostos ao vírus.

Proposta

O texto, se aprovado integralmente, autoriza a Prefeitura “a oferecer seguro de vida pessoal e familiar que conceda indenização aos profissionais de saúde que venham a ficar incapacitados para o trabalho ou venham a óbito em decorrência da covid-19”.

— O seguro de vida pessoal e familiar (...) não poderá ser com indenização menor que 30 salários mínimos e deverá ser pago em até 20 dias úteis após o envio de documentos constando a incapacidade para o trabalho ou o óbito — destaca.

Atualmente, com o salário mínimo em R$ 1.045, o valor pago de indenização deveria ser igual ou maior a R$ 31.150,00.

Argumentos

Em sua justificativa, o vereador afirma que a pandemia criou uma situação difícil “para todos, sobretudo os profissionais de saúde”. 

— Em Divinópolis, a ocupação hospitalar sofre, com os profissionais de saúde expostos ao risco o tempo todo, levando à exaustão muitos deles. Mesmo com a vacina sendo aplicada, o risco mediante as inúmeras variantes ainda existe para todos — ressalta.

Edsom ainda cita a incerteza das consequências e sequelas a longo prazo da exposição ao vírus.

— O perigo e o risco ainda existem e sempre existirá para este grandes enfrentadores da covid-19 — afirma.

Seu projeto, portanto, surge com “viés de amparar um pouco estes profissionais no momento e futuramente, especialmente em possíveis sequelas”.

Assim, profissionais de saúde que venham a ficar incapacitados para o trabalho ou morrer em decorrência da doença serão indenizados.

 

 

Comentários
×