Projeto busca revitalizar mata ciliar com plantação de 2,2 mil mudas

Da Redação

O programa Pró-Mananciais foi implantado em Divinópolis em 2018, pela Companhia de Abastecimento de Minas Gerais (Copasa). A iniciativa visa garantir a preservação das nascentes e córregos que fornecem água para a cidade. Após dois anos de ações, os moradores já percebem as transformações proporcionadas pelo projeto. Durante esse período, foi realizado o cercamento de mais de 6,4 mil metros de margens das nascentes e córregos da bacia do Ribeirão Boa vista, que é afluente do rio Itapecerica. Também foram plantadas 2,2 mil mudas para revitalização de mata ciliar, ações que garantem o abastecimento dos lençóis freáticos da região.

A Companhia realiza as atividades ambientais do Pró-Mananciais em parceria com entidades e membros da comunidade, por meio do Coletivo Local de Meio Ambiente (Colmeia) e a comunidade local. Entre 2018 e esse início de 2020, o programa promoveu atividades de preservação das nascentes, para reter a água das chuvas enriquecendo gradativamente o lençol freático e evitando erosões e assoreamentos. Somente nos 20 primeiros dias de 2020, foram construídas 175 barraginhas, 67 bigodes e 39 lombadas, mais de quatro mil metros de curvas de nível e mais de seis mil metros de estradas regularizadas, ações realizadas em algumas propriedades, para que o curso da água siga seu caminho de forma natural.

Em Divinópolis as atividades foram desenvolvidas ao longo de 15 propriedades rurais como a de Mário Lúcio Borges. Em sua fazenda foram cercados 6.030 metros de margens de nascente e plantadas 2.000 mudas. 

— Tenho apenas a agradecer à Copasa. Foi muito bom participar das ações que ajudam a preservar o meio ambiente — afirma.

Ele ressalta que já está vendo os resultados das ações realizadas em sua propriedade. 

— As nascentes já estão muito mais cheias e muito mais vivas — acrescenta. 

Esses resultados são determinantes para que novos produtores recebam o programa em suas propriedades, como aponta o agrônomo do escritório local da Emater, Alberto Coutinho.

— Muitos proprietários ficam receosos em receber o programa em seus terrenos temendo que não gerem frutos. Porém, assim que percebem os resultados e entendem que a ação é séria, a aceitação é cada vez maior — conta.

Coutinho é membro do Colmeia e reforça a importância das atividades.

— A construção de barragens, a adequação das estradas e todas as atividades realizadas pelo Pró-Mananciais são atividades que já colaboram com o meio ambiente e cujos resultados serão ainda mais aproveitados no futuro — completa.

A gerente da Unidade de Serviço de Apoio Administrativo Centro (USAC) da Copasa, Adriana Corrêa, afirma que as atividades do programa são essenciais para preservação dos rios da região.

— O programa estimula a participação coletiva de uma forma organizada e articulada, visando atingir seu objetivo maior que é proteger e recuperar as nascentes dos mananciais que são utilizadas para o abastecimento público — destaca.

O superintendente de Operações da Unidade de Negócios Centro (UNCE) da Copasa, João Martins, reforçou a importância do programa nas cidades em que foi instalado.

— Por meio desse importante programa, a Copasa aloca investimentos que se mostram fundamentais para a revitalização, preservação e proteção de nascentes e de cursos d’água nas bacias onde ela opera, com resultados expressivos e benefícios para toda a comunidade — afirma. 

Pró-Mananciais

Com aprovação da Agência Reguladora dos Serviços de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário de Minas Gerais (Arsae-MG), o programa Pró-Mananciais atua na mobilização da comunidade e de instituições parceiras, com o objetivo de construir coletivamente o sentimento de pertencimento da população à microbacia da região onde está inserida.

O programa, desenvolvido pela Copasa, já está presente em 187 municípios em que a Companhia detém a concessão dos serviços, e representa um importante instrumento de mobilização social, pois estimula a responsabilidade compartilhada, a solidariedade, a criatividade e o protagonismo da comunidade. 

Comentários
×