Projeto busca ressocialização de moradores de rua em Divinópolis

 Da Redação

Uma iniciativa de caráter social e assistencial, com o objetivo de ressocializar moradores em situação de rua de Divinópolis foi o grande destaque da audiência pública promovida na última segunda-feira, 2, pela Comissão de Participação Popular da Câmara de Divinópolis. 

Com o Plenário Dr. Zózimo Ramos Couto lotado e uma participação efetiva de entidades acolhedoras e representantes do poder público, o encontro deu os primeiros passos para a formação de uma agenda conjunta visando implantar um projeto que atue em todas as regiões de Divinópolis.  

Fazendo uso da Tribuna Livre da Câmara, o empresário Sergio Bebiano, que é presidente do Sindicato dos Contabilistas de Divinópolis e membro do Grupo Gestor ( colegiado formado por entidades representativas da cidade), explicou a proposta. 

Segundo ele, em parceria com a iniciativa privada e entidades públicas, especialmente, Prefeitura, Câmara, Ministério Público e polícias, seria criada uma rede interligada de acolhimento, na qual cada bairro da cidade receberia uma sede, com espaço voltado para atendimentos primários em saúde, educação, alimentação e reinserção no mercado de trabalho. 

Viabilização

Essa iniciativa teria seu custeio viabilizado por meio de convênios.  

— Venho trabalhando neste projeto há bastante tempo. Fui a várias secretarias, busquei o máximo de informações possíveis. A proposta é colocar essas pessoas em um local bacana, mas não para que elas tenham somente onde dormir e comer. O projeto abrange muito mais que isso. É um projeto de ressocialização das pessoas que estão nesta situação. Porque, na verdade, temos aqui bons profissionais, boas pessoas, que, por algum, motivo foram parar nesta situação — detalhou.  

Ainda na audiência, Bebiano sugeriu a locação de imóveis desativados na cidade e a criação de uma agenda de reuniões semanais para lapidar e efetivar o projeto. Ele também apontou que a gestão e execução do projeto seriam realizadas pelo Conselho Municipal de Assistência Social, entidade competente e credenciada para viabilizar a iniciativa. 

Integração nos bairros   

De acordo com o vereador e presidente da Comissão de Participação Popular da Câmara, Edson Sousa (MDB), o colegiado irá  acompanhar a instalação do projeto por meio de audiências públicas nos bairros onde ele foi implantado.

— Dentro da proposta de ter uma Casa de Acolhimento, uma sede em cada bairro, queremos, inicialmente, convocar os moradores, a sociedade em geral, para debater a melhor forma de implantar essas unidades. É fundamental que, em cada localidade, todos se mobilizem para que o projeto tenha, efetivamente, capacidade resolver os problemas dos moradores de rua — finalizou.  

Comentários
×