Profissionais da saúde serão os primeiros imunizados

Vacinação contra a covid-19 deve começar ainda nesta semana; profissional que vai tomar a primeira dose já foi escolhida

 

Pollyanna Martins 

A vacinação contra a covid-19 deve começar nesta semana, em Divinópolis. O Município depende apenas da chegada das vacinas para iniciar a campanha. Serão 577 mil doses da Coronovac distribuídas nos 853 municípios mineiros até o fim da tarde de hoje. 

Em uma coletiva de imprensa realizada ontem, o secretário municipal de Saúde, Alan Rodrigo, informou que o número que Divinópolis vai receber será definido em uma reunião hoje, às 9h, na Superintendência Regional de Saúde (SRS). 

— Será discutido se virá um percentil ou uma série histórica de vacinação — explica. 

Segundo o secretário, tão logo as vacinas cheguem a Divinópolis, a Prefeitura já iniciará a imunização. Ainda de acordo com Alan, o Município seguirá as prerrogativas do Ministério da Saúde (MS) e a campanha de vacinação será dividida em três fases, sendo a primeira voltada para os profissionais de saúde na assistência, ou seja, os que estão fazendo atendimento à população nos hospitais – tanto da rede privada quanto do Sistema Único de Saúde (SUS) –  na Unidade de Pronto Atendimento Padre Roberto (UPA) e nas Unidades Básicas de Saúde.

— Para fazer esta primeira fase da campanha de vacinação, a Prefeitura constituiu seis equipes tático móvel, ou seja, nesse primeiro momento, a população que deve ser vacinada não vai às unidades de saúde. A equipe do tático móvel, formada por um enfermeiro e dois técnicos de enfermagem, vai até as unidades para imunizar as pessoas que receberão a vacina nessa fase da campanha — esclarece. 

Demais fases

Conforme informou o secretário, após a vacinação dos profissionais de saúde que estão na linha de frente de combate ao coronavírus, serão imunizados os demais profissionais da saúde, pessoas com 75 anos ou mais, e pessoas com 60 anos ou mais que estão em asilos. A vice-prefeita, Janete Aparecida (PSC), reforçou que o Município trabalha também para garantir a vacinação nas comunidades rurais da cidade e em bairros periféricos.

— Como a vacinação vai chegar ao bairro Copacabana, por exemplo, que não tem Unidade de Saúde, ou na Mata dos Coqueiros, que é zona rural? O Plano [de Imunização de Divinópolis] será entregue ao Governo do Estado já contendo todas essas informações, como será feita a imunização desse público-alvo — destaca. 

Drive-thru

O secretário adiantou que os demais grupos estão previstos para serem vacinados na terceira fase da campanha, porém sem data definida. De acordo com Alan, nessa etapa a vacinação será feita no modelo drive-thru, em regime de 24 horas. Segundo o secretário, serão montadas cerca seis cabines de vacinação, em um local que ainda será escolhido pelo Município.  

— Nós vamos adotar este modelo para que possamos imunizar o máximo possível de pessoas em um curto espaço de tempo. As pessoas vão de carro ao local, são vacinadas e de lá já vão embora — esclarece. 

Primeira imunizada 

De acordo com o secretário, o Município já escolheu a primeira pessoa que receberá a vacina em Divinópolis. Alan revelou apenas que se trata de uma mulher, que está na linha de frente do enfrentamento à covid-19. Segundo Janete, a escolha foi totalmente técnica. 

— A gente já fez a escolha da primeira profissional que vai receber, mas só poderemos divulgar no dia da vacinação, por razões de segurança — justifica. 

Aquisição

O ex-prefeito de Divinópolis, Galileu Machado (MDB), assinou, em 29 de dezembro de 2020, um memorando de entendimento entre a Prefeitura de Divinópolis e o Instituto Butantan, de São Paulo, para a compra de 260 mil doses da vacina. No dia 4 de janeiro, o atual prefeito, Gleidson Azevedo (PSC), anunciou que iria manter a aquisição das vacinas, caso fosse necessário. 

— Hoje fica a cargo do Governo Federal e do Governo do Estado a imunização dos cidadãos em todo o território brasileiro. Primeiro, nós vamos seguir a União e o Estado, e esperamos que venha vacina para toda a população, mas, caso o Município tenha que comprar vacina com recurso próprio, nós vamos comprar — disse.

Respeito

Ainda segundo o secretário, o Município reforçou a segurança tanto para os profissionais que vão participar da campanha de imunização quanto para o transporte das vacinas. 

— Nós pedimos que a população respeite os profissionais que estão ali trabalhando, os critérios sanitários estabelecidos pelo Ministério da Saúde. Durante a campanha de imunização contra a influenza do ano passado, nós recebemos relatos de agressão aos profissionais, de perda de vacinas, porque chutaram a caixa. Nós sabemos do anseio de todos, mas esses critérios [de vacinação] são mensuráveis e são no mínimo razoáveis — solicita. 

 

Comentários
×