Proerd faz história

Para quem enxerga o mundo com olhos de criança, tudo é motivo de festa. Pude ver isso na última sexta-feira, 29, no Ginásio Poliesportivo “Dr. Fábio Botelho Notini”, pela manhã, oportunidade em que a Polícia Militar promoveu o encerramento das atividades do Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd), cuja finalidade é manter o diálogo permanente entre a escola, Polícia Militar e a família, para discutir questões correlatas à formação cidadã de crianças e adolescentes.

A cerimônia foi presidida pelo tenente-coronel Rodrigo Teixeira Coimbra, comandante do 23º Batalhão, que no ato representou o comandante da 7ª Região, coronel Webster Wadim. Presentes também o delegado regional de Polícia Civil, Leonardo Moreira Pio, e a comandante do 10º Batalhão do Corpo de Bombeiros, major Amanda Cristina Miranda.

A presença da banda de música, a performance dos dirigentes das escolas conduzindo as bandeiras dos seus educandários e o ambiente esportivo levaram crianças e adolescentes ao delírio, com aplausos e gritos de júbilo. Observa-se, com isso, que o ser humano pode ser salvo da perdição anunciada, se realmente houver esforços das autoridades constituídas em proporcionar ao povo as condições de se desvencilhar das armadilhas que fazem escravos de vícios irremediáveis os incautos.

Neste segundo semestre de 2019, trabalharam dois instrutores: os cabos Harley Cândido Nogueira e Marcus Siqueira Tavares. Os números são os seguintes: 14 escola públicas e privadas, 36 turmas, 957 alunos atendidos, sendo 331 alunos de 5º ano e 626 alunos de 7º ano. Coube ao cabo Marcus ministrar aulas para 421 alunos, e o cabo Harley atendeu a 536 alunos. Fardados, em sala de aula, transmitiram aos alunos a missão do Proerd: ensinar aos estudantes habilidades para tomada de boas decisões, ajudá-los a conduzir suas vidas de maneira segura e saudável e, desta forma, dando ênfase à visão de construir um mundo no qual os jovens de todos os lugares estejam capacitados para respeitar os outros e a conduzir suas vidas livres do abuso das drogas, da violência e de outros comportamentos perigosos.

O Proerd surgiu nos Estados Unidos, criado pela professora Rutty Hellen, em conjunto com o Departamento de Polícia da cidade de Los Angeles, em 1983. Atualmente, o programa é desenvolvido nos 50 estados norte-americanos e em 58 países. Chegou ao Brasil em 1992, através da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, sendo que desde 2002 está presente em todos os estados brasileiros. Em Divinópolis, o Proerd encontrou campo fértil e são imensuráveis os benefícios para os nossos estudantes. Vida longa ao Proerd!

augustofidelis1@gmail.com

Comentários
×