Produtos de Natal à disposição dos consumidores

Ceia é um dos momentos mais esperados das comemorações, mas deve ser bem menor neste ano

 Da Redação 

As delícias do Natal já chegaram às gôndolas dos supermercados da cidade. Faltando 15 dias para a data, o consumidor já pode adquirir os produtos sazonais referentes às festas de fim de ano. Além dos panetones, que há pelo menos dois meses já são vistos nas lojas, agora é a vez da chegada dos congelados, como chester, peru, tender e aves especiais. Apesar da pandemia, a expectativa dos supermercadistas é que as vendas cresçam em torno de 10% em relação a igual período do ano passado. E o otimismo tem suporte nas próprias restrições da covid-19, tendo em vista que, com a proibição de aglomerações, as festas serão mais caseiras, familiares. A previsão é que estes encontros mais íntimos supram as demandas antes realizadas, boa parte, em bares e restaurantes.

Praticidade 

A ceia de Natal é um dos momentos mais esperados das comemorações de fim de ano. E muitas famílias já optam por serviços mais práticos e convenientes para este encontro, sem perder o espírito de celebração e de reunião com amigos e parentes. Olhando por este lado, a linha de congelados é a que mais cresce em números de vendas neste período. 

Para os anfitriões que desejam surpreender seus convidados em casa, sem precisar gastar muito tempo na cozinha, os produtos desta linha são as melhores opções. Os supermercados oferecem um variado cardápio, para quase todos os gostos, que vão do tender até o lombo.  

 Preços 

Neste período do ano, entre este grande mix de produtos, o peru ainda é o grande campeão de vendas. Em uma rede de supermercados, ontem, um dos pratos mais tradicionais da ceia de Natal tinha o preço a partir de R$ 20,98, e o lombo congelado saía a R$ 32,90. Já a ave especial era comercializada a partir de R$ 9,49 e o chester era vendido por R$ R$ 20,98.

Passando para a área de açougue, o quilo do lombo completo saía por R$ 27,90 e o aparado por R$ 23,90. Tradicional também nas ceias de fim de ano, o pernil traseiro, com ou sem osso, custava R$ 24,90.

— Os preços não sofreram grandes alterações em relação ao ano passado, e esperamos um acréscimo nas vendas em torno de 15%. Nossos produtos para as ceias de fim de ano estão bastante variados em relação a marcas e preços— analisou o gerente, Walter Wagner.

Opções

Para a aposentada Ebe Faleiro, as opções encontradas atualmente dão uma abertura melhor para a preparação da ceia.

— Lá em casa, por exemplo, este ano vamos voltar ao tradicional peru, já que no ano passado fizemos foi ave especial. E, com a família toda mais reunida, tudo será dividido entre as partes, menos as bebidas, ficando bom para todos — disse. 

E, para quem gosta de cozinhar nestes dias de festas, nada melhor que se aventurar na cozinha.

— Antes preparo tudo. Cerveja gelada e uma boa música são o pano de fundo para o início de minhas tarefas no fogão. Neste ano, devo fazer um pernil desossado recheado com farofa especial que leva fatias de abacaxi e uvas para dar acabamento especial— detalha o comerciário José Maria Dutra. 

Comentários
×