Produtores de leite da região fazem reivindicações a ministro

 

Jorge Guimarães

Os produtores rurais de Divinópolis estiveram representados ontem, num protesto contra o preço do leite no Sul de Minas. O setor ligado a pecuária leiteira realizou em Prata, próximo a Poços de Caldas, o seu primeiro manifesto nacional, denominado “S.O.S Leite – Balde Cheio, bolso vazio”.  Organizado pelo Núcleo dos Sindicatos Rurais e Federação das Cooperativas Agropecuárias de Leite Minas, o protesto aconteceu no parque de exposições da cidade e contou com a presença do ministro da agricultura Blario Maggi, do presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Márcio Freitas, sindicatos rurais e demais entidades ligadas ao setor. O motivo da manifestação é a oscilação do preço provocada pelas importações de leite em pó, principalmente do Uruguai. O manifesto ocorreu mesmo depois da suspensão das licenças de importação do leite do Uruguai anunciada na última terça – feira. Durante o evento, foi apresentado o panorama atual do leite no Brasil e as demandas dos produtores de leite, representados por suas entidades, para a melhoria da cadeia.

Nível nacional

Com a presença de cerca de 2,5 mil  produtores foi realizada final do encontro, uma manifestação pacífica, ou seja, ao invés de jogar leite fora, interditar rodovia, foi entregue leite aos caminhoneiros que trafegavam pela via e pessoas próximas ao local.

O presidente da Cooperativa Virtual e da Cooperativa de Produtores de Leite de Divinópolis e Região (Coopeleite),  Moises Soares, a manifestação foi pacífica e tomou proporções maiores não ficando restrita ao estado.  Ele conta que tinha gente de São Paulo, Goiás e foram reivindicadas algumas pautas junto ao ministro, que assumiu compromisso com o setor, ressaltando  que vai brigar principalmente contra a importação do leite vindo do Uruguai.

— O ministro entendeu as reinvidicações da população, ele entendeu que não é somente uma questão de mercado e sim social, porque os 55% do leite de hoje é oriundo da agricultura familiar é produtor do suor do próprio produtor – detalhou.

Divinópolis

Depois que a Cooperativa Agropecuária de Divinópolis quebrou, os produtores rurais não tinham mais onde entregar sua produção. E para resolver esta questão foi criada a Cooperativa Virtual, que nos dias atuais negocia com 39 produtores rurais da região. Ontem, o litro pago ao produtor era em média de 0,95 centavos.

— No mercado atual, o produtor que entrega em média três mil litros por dia, está recebendo por volta de R$ 1,20. Agora, o pequeno produtor recebe em média R$ 0,80. Sobre a manifestação, acho válida a aproximação do governo e produtores e vejo que ele deveria estipular uma determinada cota para a importação de leite — disse o presidente do Sindicato Rural de Divinópolis, Irajá Nogueira.  

Para o produtor e também presidente da Unileite, Alberimar Procópio, os últimos seis meses tem sido muito sofrido para os produtores e a defasagem de preço para o produtor já chega a 20%.

— Para se ter uma ideia, o custo médio de produção hoje gira em torno dos R$ 1,20 a R$ 1,30 e nós produtores estamos recebendo ao entre R$ 1,00 a R$ 1,10. O que uma grande defasagem no preço final. Agora o pequeno produtor recebe em torno de R$ 0,70 a R$ 0,80 por litro. E uma das soluções para amenizar o mercado é o governo estabelecer uma cota de importação —  sugere.

Empregos

O leite é a atividade que mais gera empregos no país. Segundo o IBGE, são 1,3 milhão de propriedades que produzem; considerando a ocupação média de quatro pessoas por propriedade, são mais de 5 milhões de empregos gerados nas industrias de laticínios e no campo com a produção primária. Outro dado importante é que o leite está presente em 99% dos municípios da federação de dimensões continentais.

 

 

Comentários
×